Coluna 1

segunda-feira, 31 de março de 2014

Para Domingos Juvenil, não permitir a criação do Estado do Tapajós foi um erro

Com uma extensa folha de serviços em várias esferas do serviço público, o atual prefeito de Altamira, Domingos Juvenil, foi eleito para o cargo após deixar a função de presidente da Assembleia Legislativa do Pará. Chegou a sair candidato a governador em 2010, pela frente Agora é Trabalho, que reunia o PMDB e outros partidos, mas acabou retornando para Altamira, onde foi eleito prefeito.

Hoje presidente do Consórcio de Municípios Belo Monte, Juvenil participou da eleição para a nova diretoria da AMUT – Associação dos Municípios da Transamazônica e Santarém-Cuiabá -, realizada na sexta-feira, 28/03, em Santarém. 

Ao discursar da tribuna, ele disse que foi um erro do atual governo do Pará não permitir a criação dos novos estados, durante o plebiscito de dezembro de 2011, quando o governador se declarou a favor do Não.

Como candidato, ele disse que teve oportunidade de percorrer o interior do estado, mas em muitos lugares não conseguiu chegar por causa das distâncias e da logística que tem o Pará. “Se eu fosse governador, teria embarcado na tese de que era melhor para o nosso estado ter três territórios, pois ganharíamos todos nós”. 

Hoje, não teríamos um hospital regional, mas muitos outros. Este estado seria outro. Poderíamos até discutir os limites dos territórios, mas não a ideia da redivisão”.

Por ter apoiado Jatene no segundo turno da eleição, Juvenil disse que se sente meio responsável pelo atual governo e falando diretamente ao vice-governador Helenilson Pontes, ele pediu que este levasse a Jatene que esta região precisa de um apoio mais efetivo da parte dele. “Não receba isso como uma crítica, mas como um grito em favor da nossa região”.
Fonte: Portal Muiraquitã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário