Coluna 1

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Ladra: Chefe de gabinete na BA é acusada de fraudar Bolsa Família

Nadja Cajado, que receberia o benefício indevidamente desde de 2006, já sacou mais de R$8 mil. 
O vereador Pedro Henrique Bezerra (PDT), do município de Caldeirão Grande, na Bahia, acusou a chefe de gabinete da prefeitura, Nadja Cajado, de receber indevidamente Bolsa Família desde 2006.

Segundo ele, a antiga gestora do benefício na cidade, Ana Cláudia Gonçalves, teria sido demitida devido a isso.

'Ela (Nadja) nunca precisou do benefício. Antes de ser chefe de gabinete, com o salário de R$ 3 mil por mês, era secretária de gabinete do prefeito João Gama Neto (PT) e, antes disso, era secretária parlamentar na Câmara Municipal. Sem contar que o marido é vice-diretor de um colégio municipal', acusa Bezerra.

Nos últimos oito anos, Nadja recebeu R$ 8.347, de acordo com informações disponibilizadas pelo governo federal no Portal da Transparência. No site, é possível identificar que, neste ano, Nadja fez quatro saques do recurso, cada um no valor de R$ 178., o último no dia 29 de abril.

Questionada a respeito do assunto, Nadja disse que fez parte do programa até 2012, quando teria solicitado a exclusão por não atender mais aos requisitos. Ela diz não saber como o nome foi reincluído no programa e atribuiu à “politicagem do interior” o vazamento das informações. 

A chefe de gabinete garante que não sacou o dinheiro de lá para cá e que só descobriu que ainda estava inscrita no Bolsa Família em maio deste ano, quando acionou o Ministério do Desenvolvimento Social para tentar resolver o problema.

O caso ganhou repercussão e foi comentado pelo presidente estadual do DEM. Por meio de nota, José Carlos Aleluia, acusou o PT, partido do prefeito da cidade, de ser cúmplice de Nadja, e acrescentou que é um crime “uma pessoa que não precisa, e nem tem direito, ficar com o dinheiro que deveria servir para ajudar na sobrevivência de famílias pobres”.

 Além disso, Aleluia pediu que o Ministério Público faça uma investigação sobre o caso. (O Globo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário