Coluna 1

sábado, 19 de julho de 2014

Rejeição a Dilma cresce em quatro das cinco regiões do país

Sudeste, que reúne 60 milhões de eleitores, presidente tem pior índice.
A rejeição dos eleitores à presidente Dilma Rousseff (PT) aumentou em quatro das cinco regiões do país, de acordo com a pesquisa Datafolha. 

O pior desempenho da candidata petista continua sendo no Sudeste, onde 43% dos eleitores declaram que não votariam nela de jeito nenhum no primeiro turno da eleição presidencial de outubro.

É também nessa região, que concentra a maioria do eleitorado brasileiro, com cerca de 60 milhões de pessoas aptas a votar, que Dilma tem seu pior índice de intenção de voto, de 28%.

No Nordeste, reduto de votos do PT desde a primeira eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o desempenho da presidente também piorou. A rejeição a Dilma cresceu de 19%, nos dias 1 e 2 de julho, para 23% entre os eleitores consultados pelo Datafolha nos dias 15 e 16 deste mês. 

O número de eleitores que declararam voto à candidata do PT caiu de 55% para 49% no mesmo período. Segundo o cientista político Sandro Corrêa, ainda é cedo para avaliar o cenário:

'Não era esperado ver o PT perder votos no Nordeste e ganhar novos no Sul. Há algumas hipóteses que devem ser analisadas nas próximas pesquisas como o crescimento do Eduardo Campos (PSB) na região onde tem seu reduto político. A oscilação foi grande, mas só deve assustar se Campos conseguir reverter seu nível de conhecimento na região em voto', explicou.

Nos nove estados nordestinos, Campos cresceu apenas um ponto percentual, chegando a 12% das intenções de voto, contra 10% do candidato do PSDB, Aécio Neves. A rejeição do pernambucano também subiu um ponto, de 19% para 20%. Já o percentual de leitores que declaram não votar em Aécio caiu de 25% para 24%.

Se a rejeição a Dilma no Sudeste continua alto, a do senador tucano também cresceu, de 14% para 16%. Entre os três primeiros, o único que melhorou seu índice de rejeição foi Campos, que passou de 10% para 9%.

O voto das mulheres

O recuo de Dilma na pesquisa pode ser explicado, em parte, pela queda no desempenho da petistas em dois segmentos onde o PT conseguiu bons desempenhos nas urnas nas últimas três eleições: entre os eleitores com renda até dois salários mínimos e entre aqueles que declaram ter apenas o ensino fundamental. 

Segundo a pesquisa Datafolha, a intenção de voto da presidente também caiu entre o eleitorado feminino, recuando quatro pontos percentuais, de 38% para 34%.

Entre os eleitores com renda até dois salários mínimos, Dilma caiu dos 45% de intenção de voto para 42%, e Aécio subiu um ponto, chegando a 14% das intenções de voto. Campos também caiu de 9% para 7%. (O Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário