Coluna 1

terça-feira, 29 de julho de 2014

Vendas de material escolar devem aquecer

O comércio ainda aguarda o aquecimento da venda de material escolar para a volta às aulas. A procura começou tímida no centro comercial no início da semana. 
A expectativa é que as venda desses produtos só comecem a aquecer a partir de amanhã e siga movimentado de forma gradativa até o sábado, quando a maioria das lojas deve ser tomada por pais e responsáveis em busca dos artigos. 
Caderno, lápis e borracha são os artigos mais procurados nesta época do ano, que contam com um reajuste de preço. Na loja de maior referência neste segmento no centro comercial houve um reajuste de 5% no preço do material escolar devido a grande demanda desta época.

Diferente dos dias que precedem o semestre no mês de janeiro, a maioria das pessoas procura materiais de reposição nesta época, já que a maior parte dos produtos foi adquirida no início do ano letivo.

“Estamos aguardando o grande movimento a partir de agosto, quando todo mundo vem procurar já em cima da hora, principalmente material de reposição. Mas agora ainda está tranquilo porque muita gente continua aproveitando as férias nas praias e balneários”, afirma Vitalina Nascimento, sub-gerente da loja.

Consumidor não deve ter vergonha de pechinchar

Mas faltando apenas uma semana para o início das aulas do segundo semestre na maioria das escolas e universidades da Região Metropolitana de Belém (RMB), há quem aproveite o pouco movimento no centro comercial para comparar preços e pechinchar os melhores produtos.

“No começo, eles pedem uma lista de materiais diversos, coisas que ainda nem foram utilizadas. Agora só preciso repor aquilo que já foi extremamente utilizado. O caderno, por exemplo, já está precisando de um novo”, disse Gisele Falka que estava ao lado do filho procurando material do início do semestre em uma das lojas mais requisitas neste segmento em Belém.

A funcionária pública Andréa Oliveira tem algumas técnicas para pechinchar os melhores preços. Além de cotar os valores em mais de uma loja, ela evita ir às compras de material escolar acompanhada da filha.

 “Se ela vier, vai só atrás das marcas, de cadernos com temas. Prefiro vir sozinha para comparar os preços e levar o mais barato, já que são todos iguais para mim. No início do ano, faço aquela compra mais caprichada, agora é só repor o que ela destruiu ou acabou”, disse a mãe.

A universitária Giovanna Maia também aproveitou o início da semana para comprar o caderno que está faltando para o começo das aulas marcado para a próxima segunda-feira. “Com mais calma dá para procurar os melhores preços, ir a outras lojas, economizar e ainda levar os produtos que mais nos agradam”, disse a estudante de matemática.
(Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário