Coluna 1

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

'Agora temos o maior mensalão da história deste País', diz Marina, em referência à Petrobrás

A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, classificou ontem quarta-feira, 17, o suposto esquema de corrupção que envolve o ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobrás Paulo Roberto Costa como “o maior mensalão da história”. 

A declaração foi feita bate-papo em que respondeu a perguntas enviadas por internautas. “Agora temos o maior mensalão da história do País. Porque nunca na história deste País se viu um escândalo como esse”, completou.

Na semana passada, a candidata do PSB já havia desferido um pesado ataque ao PT, dizendo que o partido havia colocado Costa em uma diretoria para “assaltar” a Petrobrás.

A investida contra a adversária Dilma Rousseff ocorre um dia após o Ibope mostrar que a petista, candidata à reeleição, caiu três pontos porcentuais na corrida pelo Planalto. A presidente tem 36%. Marina tem 30% - oscilou um ponto para baixo em relação à pesquisa anterior. O tucano Aécio Neves cresceu 4 pontos e agora tem 19%.

A mudança do quadro ocorreu em meio a uma forte campanha de ataques contra Marina. Os programas de TV de Dilma tiveram como principal alvo na semana passada as propostas da candidata do PSB sobre a independência do Banco Central e a redução da importância do petróleo, incluindo o pré-sal, como fonte de energia no País.

Antes, em entrevista coletiva também concedida no Rio, Marina também fez críticas à gestão da Petrobrás e aos bancos públicos. Ela afirmou que “Paulo Roberto Costa foi funcionário de confiança da presidente Dilma. Isso é resultado da governabilidade que as pessoas reivindicam que não pode mudar.” A ex-ministra voltou a afirmar que a estatal está “reduzida à metade do seu valor”, “o que precisa ser explicado”.

Marina criticou Dilma pelos empréstimos de instituições financeiras federais a uma pequena parcela do empresariado. “Dilma tem que explicar para a sociedade por que colocou no seu governo R$ 500 bilhões para meia dúzia de empresários, usando recursos do BNDES, que equivalem a 20 anos de Bolsa Família”, afirmou ela.

'Boatos'. Marina dedicou parte de sua quarta-feira a rebater “boatos” contra sua campanha. Segundo ela, o objetivo dos adversários é fazer os eleitores acreditarem que ela vai acabar com programas do governo federal. 

“Eles (adversários) dizem que vamos acabar com o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida, o Mais Médicos, a exploração do pré-sal, o crédito para o consumidor... é tanta coisa que já nem é uma pessoa. 

Só se fosse o Exterminador do Futuro”, comparou, referindo-se ao personagem interpretado pelo ator Arnold Schwarzenegger no filme de mesmo nome, lançado em 1984. (msn/Estadão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário