Coluna 1

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Seduc e Secom entregam certificados a concluintes do curso de rádio

Os secretários Daniel Nardin (e) e Seixas Lourenço (d) entregaram o certificado a uma das concluintes do curso de rádio.
Cerca de 70 alunos, representantes de escolas e professores participaram da cerimônia de entrega de certificados aos concluintes dos cursos teóricos e práticos de rádio, oferecidos por meio de uma parceria entre as secretarias de Estado de Educação (Seduc) e de Comunicação (Secom). 


Nesta etapa, oito escolas públicas estaduais foram atendidas pelo Projeto Rádio Escola, que leva aos estudantes uma ferramenta que pode ser usada em comunicação, pesquisa, aprendizagem e como instrumento pedagógico nas instituições de ensino.

Realizada no Instituto de Artes do Pará (IAP), a cerimônia começou com a exibição de um vídeo sobre o trabalho desenvolvido com os alunos no local onde os cursos foram ministrados, o Núcleo de Tecnologia da Educação (NTI). Júlio Castro, 15 anos, aluno da Escola Estadual Regina Coeli, foi o orador das turmas, e ressaltou a importância da atividade. 

“A forma como este projeto interage com os alunos é muito especial. Pude ver como esse projeto influenciou a todos na escola. Hoje sei que a rádio é um instrumento de mudança, e é por isso que eu aprovo completamente o projeto”, afirmou. Júlio Castro e Carina da Silva, aluna da Escola Isabel Amazonas, demonstraram os conhecimentos adquiridos fazendo um programa de rádio ao vivo.

Em seguida, foram entregues os certificados aos alunos de representantes das escolas Magalhães Barata, Maria Araújo de Figueiredo, João XXIII, Isabel Amazonas, Maria Helena Tavares, Regina Coeli, Neudalino Viana da Silveira e Hilda Vieira. A jornalista Úrsula Vidal foi convidada a participar do evento, após uma pesquisa entre os alunos sobre qual jornalista mais admiram. 

“Nós temos esse processo criativo dentro de nós, e só não aflora se não formos estimulados. Esse processo da comunicação se torna mais fluido e eficiente quando você vive o rádio. Ele pode ser uma ferramenta para desenvolver um trabalho em diversas disciplinas que possibilitam a transversalidade de se trabalhar Matemática, Português, Geografia. 

Ele cria um grande fenômeno transformador da sociedade, que é a sensação de pertencimento. Quando eu pertenço, eu cuido, eu melhoro, eu participo, interajo e transformo”, enfatizou a jornalista.

Sucesso - Para o secretário de Educação, José Seixas Lourenço, a parceria entre as duas secretarias começou de forma experimental, mas atualmente é um sucesso. “Começamos a partir de algumas experiências exitosas, e tivemos como referência a Rádio Escola da ‘Rio Caeté’, em Bragança, que nos motivou a partir de um trabalho extraordinário. 

Hoje, está entre os 10 finalistas para receber o Prêmio de Escola Voluntária, que deverá acontecer na terça-feira, em São Paulo (SP), com o patrocínio da Rádio Bandeirantes e da Fundação Itaú Social. Tivemos uma turma com a capacitação no final de setembro com cerca de 40 pessoas. Agora, temos uma nova turma, o envolvimento de oito escolas, e cerca de 70 jovens capacitados. Isso nos indica um caminho muito interessante”, afirmou.

O secretário de Estado de Comunicação, Daniel Nardin, informou que o projeto da Rádio Escola terá o acompanhamento da Secom, e mais desdobramentos. “Agora iniciamos uma nova fase, que é acompanhar, monitorar os alunos dessas escolas, para que, o quanto antes, eles estejam aptos a produzir pequenos programas de rádio, de três minutos, sobre temas de utilidade pública. 

Temos dialogado com a Rádio Cultura, com a Funtelpa, para que estes programas sejam veiculados na rádio pública. Queremos que o projeto Rádio Escola se torne também um projeto de escola no rádio, e que a gente leve para um público maior o que os alunos já estão fazendo e aprendendo”, ressaltou Daniel Nardin.

Helena Sária, coordenadora do Projeto Biizu e diretora do Núcleo de Comunicação Popular e Comunitária da Secom, também destacou a continuidade do projeto no próximo ano. “Agora vamos de manter o grupo unido, monitorar o trabalho e conseguir avançar, montando os programas. O desafio de realizar uma segunda etapa nos deixa muito felizes com o trabalho, que é pioneiro como política pública”, disse ela.

Talentos - O professor João Carlos Hildebrando acompanhou a certificação dos alunos da sua escola. “No ‘Maria Helena Tavares’ eu percebi total interesse dos alunos. Eles são talentosos, e o que faltava era um incentivo maior. Com esse incentivo do governo, espero que eles se descubram seus talentos e possam contribuir para uma educação melhor, se envolvam mais nesse projeto e fiquem mais tempo na escola”, declarou.

A aluna Jamile Carvalho, 14 anos, da Escola Maria Helena Valente Tavares, definiu a entrega de seu certificado com um momento especial. “É um momento maravilhoso! Recebemos um curso mais profissionalizante na nossa escola, e agora vamos poder interagir com os alunos e os professores, sabendo usar todos os equipamentos, de forma correta”, acrescentou a estudante.

Os gêmeos de 15 anos, Caio e Joel da Silva, também da Escola Maria Helena Valente Tavares, participaram das aulas e perceberam mudanças em suas vidas a partir do curso. “É muito gratificante, pois a gente nunca havia tido a oportunidade de receber um curso assim. A gente tinha muita curiosidade de saber como funcionava, e de se aprofundar no assunto. 

Agora, com o treinamento, descobrimos que rádio não é só aquela coisa de tocar música. Tem algo muito além, de poder se comunicar e mudar a escola e o mundo com a ajuda do rádio”, afirmou Caio da Silva.
Agência Pará de Notícias
Ana Paula Bezerra - Secretaria de Estado de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário