Coluna 1

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Defesa Civil mantém vigilância sobre rio Tapajós

As bombas de sucção de água começaram a ser instaladas, na orla de Santarém, para retirar a água do rio Tapajós que está invadindo a avenida Tapajós. Desde a grande cheia do rio, em 2009, os órgãos de segurança do município ficam em alerta nesse período do ano para evitar transtornos como os de anos anteriores, quando a água do rio inundou a via e ainda invadiu algumas lojas, danificando mercadorias.
Segundo dados da régua da Agência Nacional de Águas (ANA), instalada no cais da Companhia Docas do Pará (CDP), o nível do rio Tapajós no dia 20 estava em 7,36 m, um pouco abaixo em relação à mesma data em 2014, quando media 7,78 m. 
Em 2009, quando houve a maior enchente registrada até o momento, o nível chegou a 8,31 m no dia 30 de maio. 

Mesmo com os dados mostrando certa tranquilidade é preciso atenção, o chefe de Divisão de Planejamento da Defesa Civil Municipal, Harlesson Melo afirmou que diariamente o órgão está acompanhando a subida do rio. “Principalmente na frente da cidade, porque todos os anos têm aquele transtorno.

Na segunda de manhã estivemos na orla, e algumas rampas que dão acesso aquelas escadas pro cais de arrimo já se encontram submersas”, informou.

NAVEGAÇÃO
Navegar pelos rios da Amazônia exige constante atenção, mas nessa época do ano, quando o rio está enchendo, o cuidado redobra. 

O comandante da Capitania Fluvial de Santarém, capitão Robson Oberdan, ressalta a importância da embarcação estar com todo material obrigatório de salvatagem [medidas de resgate e manutenção da vida após um desastre] e tripulação preparada, mas pede que os comandantes naveguem um pouco mais devagar para não causar transtornos em que vive às margens dos rios. 
(Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário