quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Em assembleia, professores da UFPA mantêm greve

Em assembleia realizada no prédio do 'Vadião', os professores da UFPA (Universidade Federal do Pará) decidiram manter a greve da categoria, que já dura mais de quatro meses. A paralisação foi iniciada no dia 28 de maio. 

Segundo a Adufpa (Associação de Docentes da UFPA), os professores decidiram aguardar os resultados das reuniões com os Ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) e da Educação (MEC), previstas para ocorrer nos dias 30 de setembro e 5 de outubro, respectivamente. Depois dos encontros, o movimento deve se reunir novamente, já que outra assembleia foi marcada para o dia 7 de outubro no mesmo local. 

Durante a assembleia de hoje, os docentes aprovaram um calendário de mobilizações, que inclui uma audiência pública no dia 1º de outubro para discutir os impactos dos cortes no orçamento das universidades federais, além de um ato público na UFPA no próximo dia 5, quando o MEC (Ministério da Educação) estará recebendo os professores para negociar em Brasília.

Antes da definição pela continuidade da greve, os docentes avaliaram a conjuntura e discutiram os impactos do ajuste fiscal nas universidades públicas e na carreira docente. “O governo quer economizar às nossas custas para continuar pagando os juros da dívida. É um equívoco achar que o ajuste fiscal é a única alternativa para a atual crise que vivemos”, afirmou o diretor da Associação de Docentes da UFPA, José Alves. 

Os docentes reivindicam, entre outros pontos, um reajuste linear de 27,3%, uma política de valorização salarial, a reestruturação da carreira e a reversão dos cortes de verbas na educação pública, que atingiram mais de 30% do orçamento das Universidades federais. (ORM News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário