quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Alunos da rede estadual têm preparação diferenciada para o Enem

Às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorre este final de semana em todo o país, a aluna Thaís Sousa, 18, da Escola Estadual Visconde de Sousa Franco, em Belém, dedica o seu tempo para reforçar o conteúdo aprendido ao longo do ano, tudo para alcançar seu principal objetivo: cursar Biomedicina. Ela está entre os 367.163 alunos que realizarão a prova no Pará. Em Belém, 113 mil pessoas estão aptas para o exame. No Brasil, sete milhões realizam a prova, sendo 31,5% na região Norte. 

“Sei que estou preparada, mas a gente sempre fica bastante ansiosa quando vai chegando perto da prova. Aí é bom estudar um pouco mais, aproveitar todos os momentos para reforçar tudo na cabeça”, disse a estudante, para logo em seguida retomar a concentração para um dos computadores do laboratório de informática da escola.

Nesta quinta-feira, 22, ela e outros alunos do terceiro ano aproveitaram a manhã para responder a um simulado preparatório, elaborado pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc). Trata-se da 2ª Avaliação Unificada do Ensino Médio, um exercício voltado para estudantes da rede pública, aos moldes da prova do Enem. 

Por isso, o simulado tem duas provas, totalizando 180 questões de ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e códigos e matemática. O conteúdo pode ser acessado por qualquer estudante da rede pública até as 23h59 desta sexta-feira, 23, através do portal da Seduc (clique aqui). No final da avaliação, o estudante terá acesso automático a sua pontuação em cada bloco de prova.

O teste é apenas um dos recursos que foram disponibilizados aos alunos da rede pública, ao longo do ano, para reforçar a preparação para o Enem. Em agosto, os estudantes realizaram o primeiro teste. 

Além dos simulados, aulões e aulas de reforço ajudaram os estudantes na preparação. Segundo Clara Yunes, da Diretoria de Ensino Médio e Educação Profissional da Seduc, as ações atingiram os 90 mil alunos da rede estadual que estão aptos a realizarem as provas. “Estamos confiantes no desempenho dos nossos alunos”, garante a diretora.

Thaís, que participou de vários desses momentos, aprovou as iniciativas e disse estar mais confiante para a prova. “Fiz todos os testes que estavam disponíveis e é sim uma boa preparação. Acredito que vai dos alunos também se interessarem pelo conteúdo, pelas aulas. 

Tivemos aulas no auditório, inclusive com outros professores que nos deram várias dicas. Eu sempre procurei participar de tudo, inclusive fiz a prova desde o primeiro ano, como teste mesmo, porque sei que tenho que conseguir uma média alta pro meu curso. Apesar da ansiedade, me sinto preparada”, disse a jovem.

Pro Paz – Este ano, uma das novidades na preparação dos alunos para a prova foi o Pro Paz Enem, uma iniciativa integrada entre a Secretaria de Educação e a Fundação Pro Paz, que recebeu o apoio de vários outros órgãos do governo, entre eles, as Secretarias de Comunicação, e Segurança Pública, a Rede Cultura de Comunicação e a Imprensa Oficial do Estado. “Todo mundo embarcou na ideia. Isso fez a diferença. 

No final, o resultado foi muito positivo. A participação dos alunos e a sede que a gente conseguiu ver em cada olhar pelo conhecimento foram o nosso maior retorno. É um projeto que com certeza será ampliado em 2016”, destaca o presidente do Pro Paz, Jorge Bittencourt.

Inicialmente, o projeto contava com aulões apenas em alguns interiores. Com a demanda, os aulões foram implementados também na capital e estendidos a outros interiores. Com isso, as aulas foram ministradas em Belém e nos municípios de Benevides, Abaetetuba, Breves, Santarém e Marabá, abrangendo cinco Regiões de Integração do Estado. 

Com uma dinâmica diferenciada trabalhada pelos 30 professores do projeto (destes, 15 são concursados da Seduc), as aulas caíram no gosto dos alunos. Ao todo, foram ministradas 14 aulas, todas gratuitas e divididas em assuntos de onze matérias das quatro áreas de conhecimento. Mais de 12 mil alunos marcaram presença.

Para Bittencourt, entre as inúmeras situações que marcaram o projeto, duas delas foram bastante significativas. “Tivemos depoimentos muito emocionantes nesse tempo, mas sempre que víamos as primeiras fileiras cheias por pessoas portadoras de deficiência auditiva, isso era um diferencial. 

Assim como aqueles que não se importaram com o pouco espaço físico e se sentaram nos capacetes de suas motos para acompanharem as aulas. Para nós, isso foi muito importante porque foi a população dizendo o quanto queria esse reforço”, afirmou, destacando a presença das intérpretes de libras em todas as aulas.

Reforço - Com o objetivo de também levar as aulas para outros municípios do Estado, o projeto contou ainda com um programa semanal na TV Cultura. Ao vivo, as aulas tinham duração de uma hora e meia, de quarta a sexta-feira, de 19h as 20h30, e com reprise aos sábados, de 7h30 ao meio-dia, e com uma plateia formada por alunos de escolas públicas do Estado. 

O público em geral marcou presença por meio das redes sociais em tempo real. Após as exibições, os episódios foram disponibilizados nas redes sociais do Governo do Pará. Já o Pro Paz e a Secretaria de Educação também disponibilizaram materiais de reforço e dicas através das suas redes sociais.

Durante as aulas, todos os participantes receberam ainda material específico do Pro Paz Enem, criado pelos professores. Para os alunos, foram entregues fascículos contendo resumos das matérias do conteúdo programático. Já para os professores, foi entregue o Guia Central do Enem com informações e dicas de abordagem de conteúdo para a prova. 

Além desse material, foram distribuídos ainda encartes dominicais, em parceria com o Jornal O Liberal, com dicas da prova para os alunos. Para o ano que vem, a meta é expandir o projeto, fazendo com que as aulas cheguem a todas as regiões de integração do Estado.

Enem terá provas em 300 escolas estaduais
Entre as escolas onde serão aplicadas as provas do Exame Nacional do Ensino Médio neste sábado, 24, e domingo, 25, no Pará, 300 pertencem à rede estadual de ensino e estão distribuídas em 65 municípios do Estado. 

Somente em Belém, 72 escolas administradas pela Seduc funcionarão para o recebimento dos candidatos ao Exame. Em Belém e no interior do Estado, as escolas foram vistoriadas por técnicos dos setores de Ensino, Informática e Logística da Seduc, em parceria com a Coordenação Estadual do Enem.

Entre as escolas que sediarão as provas na capital estão instituições como Paes de Carvalho, Ulysses Guimarães, Santa Maria de Belém, Deodoro de Mendonça e Visconde de Souza Franco. A Secretaria Adjunta de Ensino (SAEN) da Seduc orientou os gestores para que essas escolas funcionem normalmente na véspera da aplicação do Exame. Sendo assim, haverá aula normalmente nesta sexta-feira, 23.

“As escolas estaduais estarão com portões abertos a partir das 11 horas (horário de Belém), para que os estudantes possam se dirigir às salas de aula e iniciar a prova às 12h30. Nos dois dias de provas, a Seduc disponibilizará servidores para orientar os candidatos”, afirma a diretora Clara Yunes.

Locais de prova - os municípios que sediam escolas onde haverá provas do Enem são: Abaetetuba, Acará, Alenquer, Altamira, Anajás, Ananindeua, Augusto Corrêa, Baião, Barcarena, Belém, Benevides, Bragança, Breu Branco, Breves, Bujaru, Cametá, Canaã dos Carajás, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Conceição do Araguaia, Concórdia do Pará, Curralinho, Curuçá, Dom Eliseu, Eldorado do Carajás, Igarapé-Açu, Igarapé-Miri, Itaituba, 

Itupiranga, Jacundá, Juruti, Limoeiro do Ajuru, Mãe do Rio, Marabá, Marituba, Mocajuba, Moju, Monte Alegre, Novo Progresso, Óbidos, Oriximiná, Pacajá, Paragominas, Parauapebas, Ponta de Pedras, Portel, Redenção, Rondon do Pará, Rurópolis, Salinópolis, Salvaterra, Santa Isabel do Pará, Santarém, São Domingos do Capim, São Félix do Xingu, São Geraldo do Araguaia, São Miguel do Guamá, São Sebastião da Boa Vista, Soure, Tailândia, Tomé-Açu, Tucumã, Tucuruí, Uruará, Vigia e Xinguara.

Pontualidade – Os estudantes devem ficar atentos para o horário das provas. Todos os dias os portões das escolas abrirão às 11h e fecharão às 12h, sendo que o exame começará 30 minutos depois, às 12:30h, indo até 17h. Já no domingo os candidatos terão uma hora a mais de prova devido a redação que será aplicada neste dia, com as provas durando até 18h.

A Seduc recomenda aos alunos que fiquem atentos com o fato do horário das provas do Enem ser o de Brasília (Horário de Verão). "Todo o ano Horário de Verão atrapalha a vida dos alunos, por isso estamos noticiando na televisão, jornal, rádio e internet para evitar confusões. Para evitar atrasos o candidato deve sair mais cedo de casa e evitar engarrafamentos, conhecer o trajeto e visitar a escola, inclusive para saber se é climatizada ou não”, destacou Clara Yunes. 

A professora também dá outras dicas aos estudantes. "Eu recomendo ele fazer uma revisão até hoje (quinta) ou o Simulado online que a Seduc está fazendo, mas depois ele deve relaxar, assistir a um teatro, ver um filme em casa ou descansar", sugere. Os estudantes também devem ficar atentos ao fato de que só podem usar caneta transparente e de tinta preta no Enem. 
(Com informações da Ascom Seduc)
Amanda Engelke - Secretaria de Estado de Comunicação
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário