terça-feira, 20 de outubro de 2015

Atingidos por naufrágio receberão 1 salário mínimo da CDP

O conselho administrativo da Companhia Docas do Pará (CDP) autorizou nesta segunda-feira (19), o pagamento de um salário mínimo para as 148 famílias citadas na ação do Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA), que pede providências à justiça federal sobre o naufrágio do navio Haidar, em Barcarena. 

Segundo nota oficial divulgada pela companhia, o benefício deverá ser pago mensalmente enquanto durar a operação de limpeza das áreas afetadas pelo acidente e salvatagem dos animais que restaram no interior da embarcação naufragada no rio Pará. Na mesma ação o MPF pede ainda a paralisação das atividades do porto da CDP em Vila do Conde, o estabelecimento de um cronograma para a operação de retirada das bois e do navio do rio, além do fornecimento de água mineral e máscaras para os moradores do local.

O juiz em exercício da 9ª Vara da Justiça Federal no Pará, Ruy Dias de Souza Filho, está responsável pela análise do pedido do MPF. Na última sexta-feira (16), o magistrado deu prazo de 24h para que a CDP e a empresa Global Norte Trade expliquem o acidente ambiental. A empresa Minerva, responsável pelos bois embarcados no navio, foi dispensada da decisão judicial por não ter sede em Belém. O prazo finda às 18h desta segunda-feira. (ORM News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário