terça-feira, 27 de outubro de 2015

Governo do Pará planeja o desenvolvimento econômico do Estado para os próximos 15 anos

O Governo do Pará está criando um Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Estado para fomentar o crescimento econômico até o ano de 2030, através de iniciativas prioritárias a serem aplicadas durante esse período. Nesta terça-feira, 27, o governador Simão Jatene se reuniu com a equipe de governo responsável pelo projeto e com representantes da McKinsey&Company, responsável pela consultoria das estratégias do Pará 2030, para acompanhar a evolução dos estudos.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, explicou que o projeto, anunciado no final do mês de agosto deste ano, está na décima semana de trabalho de prospecção das potencialidades das cadeias produtivas presentes no Pará e que esses estudos devem ser finalizados até o final deste ano, quando se dará início a aplicação do planejamento.

“Esse é o momento de apresentarmos ao governador os resultados obtidos até o momento, e para ajustarmos o que for preciso para que tenhamos um planejamento dentro das reais necessidades do Pará”, reiterou.

Foram ouvidas mais de 50 instituições públicas e privadas, além de organizações sociais, universidades, etc, para identificar e nortear o planejamento das metas a serem alcançadas nos próximos 15 anos. Entre as metas a serem alcançadas para a formatação do projeto está a avaliação de oportunidades que possui potencial a médio e curto prazo, bem como definir a aplicação das ações para as áreas da agricultura familiar, serviços ambientais, mineração, turismo e gastronomia, entre outros.

Para o governador Simão Jatene o foco das cadeias produtivas, eleitas pelo Estado, deve potencializar a geração de emprego, renda e aumento das receitas estaduais. “Estamos vivendo um momento particularmente especial com uma nova corrida rumo ao Norte e precisamos refletir sobre esta realidade que estamos vivendo. Acredito que temos uma diversidade de potencialidades econômicas que podem ser fortalecidas aqui, como é o caso do açaí. Temos a produção mais importante de açaí do Brasil que tem o selo de produto da Amazônia”, destacou.

O Pará tem muitas vantagens comparativas diante dos outros estados da federação, avaliou o pesquisador sênior e co-fundador do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Beto Veríssimo. Seja por ser detentor de grandes recursos naturais, por estar avançando em seu marco regulatório, seja pela posição logística do estado que está mais próximo do mercado europeu, americano e asiático. 

“Pela sua posição geográfica o Pará pode ser um produtor, um exportador, um lugar onde os produtos alcancem os mercados nacionais e internacionais com qualidade ambiental, agregando valor a esses produtos”, ponderou Veríssimo ao lembrar que todas as regiões do estado possuem potencial logístico.

Esta é a primeira vez que o Governo fomenta um horizonte para o futuro econômico estadual. O Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Pará tem a vantagem de priorizar as cadeias econômicas sejam cadeias democráticas, com condições de fortalecimento econômico da população que reside em território paraense. Marcus Frank, da McKinsey&Company, acredita que o segredo do sucesso do projeto é a forma colaborativa que ele está sendo desenvolvido.

“Temos secretarias estaduais, instituições e setor produtivo planejando juntos para que o projeto possa ter uma participação efetiva de todos e não fique apenas no plano teórico. É muito gratificante ter essa visão de desenvolvimento sustentável do Estado, essa preocupação em ter tanto um olhar técnico, fundamentado para o desenvolvimento, como a preocupação com a sustentabilidade e como traduzir a teoria para implementar na realidade do dia a dia da população”, disse Marcus Frank, da McKinsey&Company.
Dani Filgueiras - Gabinete do Governador
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário