sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Grupo argelino anuncia investimentos no Pará

A companhia argelina Cevital, que já está presente em vinte países, confirmou a chegada ao país, especificamente pelo Pará. O potencial do Estado na produção agrícola e mineral, com verticalização da produção, chamou a atenção do grupo, que assinou um Protocolo de Intenções de Investimentos com o Governo do Estado na noite de ontem quinta-feira (08), em Belém, com ações em diferentes áreas, como agroindústria, siderurgia e logística.

O presidente da companhia, que tem sede em Argel, na Argélia, veio ao Pará acompanhado de diretores executivos e já visitou diversos municípios do interior antes do encontro com o governador Simão Jatene. “Depois dos municípios que visitamos e tudo que observamos, a Cevital tem a certeza de que está entrando no Brasil pela porta certa”, afirmou Isaad Rebrab, presidente do grupo.

O grupo, que é líder na produção de alimentos na África, também é um dos maiores do mundo na produção e processamento de grãos. No Pará, porém, tem a intenção de diversificar ainda mais a produção, com unidades industriais em diversos segmentos, inclusive apoiar a questão logística. “Os portos do Pará são muito próximos da Europa e da África. 

Essa é uma das razões que nos atraiu. A outra razão importante é que quando vim para o Brasil, constatei que a grande dificuldade do país é a parte de logística. Em muitos casos, o produto alimentício brasileiro perde competitividade justamente por causa da logística interna. Isso faz com que ele chegue a custar duas vezes mais”, observou Isaad Rebrab.

O presidente está no Estado para uma série de visitas técnicas a municípios do interior e tem realizado estudos técnicos para investimentos em localidades como Santana do Araguaia, Paragominas, Santarém, Barcarena e Marabá. “Nosso objetivo é agregar valor na matéria prima brasileira para atender primeiro o mercado interno e, depois, o nosso próprio mercado importador. 

Vamos começar em Vila do Conde, estabelecendo a primeira refinaria de óleos vegetais. Temos intenção de começar a produzir também ração animal para gado, pois a Argélia é uma grande importadora de carne, e estamos pensando até mesmo em montar um frigorífico para exportação da carne com valor agregado para a Argélia”, explicou Rebrab.

Ferrovia - Além das indústrias com compromisso firmado, a Cevital confirmou seu interesse em participar de um consórcio para disputar a concessão da Fepasa (Ferrovia Paraense). Os projetos da estrada de ferro estão sendo feitos no âmbito da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). 

O interesse da companhia argelina em participar do consórcio é não somente por melhorar a logística para escoar a produção que se pretende instalar no Estado, mas inclusive produzir os trilhos da ferrovia em uma das siderúrgicas da Cevital, localizada na Itália.

Siderúrgica – O presidente da companhia ainda aproveitou a cerimônia de assinatura do Protocolo de Intenções para anunciar a desmobilização futura de uma unidade siderúrgica da Cevital para transferir ao Pará, buscando ficar mais próximo da matéria prima e verticalizar a produção. Equipes técnicas da companhia irão iniciar os estudos para verificar o local apropriado para a futura instalação.

Oportunidades - Em maio deste ano, Simão Jatene esteve na Argélia para fazer uma visita técnica ao Complexo Agroindustrial da Cevital, em Bejaia. Acompanhado do secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, e de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca, Hildegardo Nunes, o governador teve a oportunidade de conhecer de perto os investimentos no país. A aproximação abre as portas do mercado europeu e do norte da África para o setor produtivo paraense.

“É muito importante que as pessoas percebam a crise está aí, mas nós não estamos nos abatendo diante dela. Nossa diferença é que nós estamos buscando saídas para a crise essa é que é a grande diferença. Recebemos com uma grande alegria esse momento, pois essa é uma história que está sendo construída já há algum tempo, quando fomos para a Argélia e visitamos o grupo Cevital. 

O Pará é um estado que tem um potencial enorme, mas tem também grandes desafios e nos interessa construir parcerias com aqueles que são capazes de perceber a complementaridade que temos. Não queremos simplesmente ser produtor de matérias primas, queremos ser produtores e exportar alimentos, agregados. 

Eles também possuem uma tradição em algumas áreas de logística que para nós é fundamental, pois isso reduz o nosso custo, nossas dificuldades e aumenta a nossa competitividade. Só tem um jeito de enfrentarmos a pobreza e desigualdade: é através da produção, do emprego e da renda e é o que nós estamos fazendo”, afirmou o governador Simão Jatene.

Potencial - Para o Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, com a chegada da empresa, todos têm a ganhar. “O grupo vem realmente ao encontro com o anseio do Estado que é de buscar agregar valor a seus produtos e vários investimentos de acordo com as potencialidades de cada município.  

Com isso há a geração de milhares de empregos e esse é o grande desafio em um momento em que o país já perdeu milhares de postos de trabalho”, explicou o secretário.
O Grupo Cevital é a maior companhia de capital privado da Argélia e uma das maiores da África. 

Ao todo são 25 empresas, em diferentes segmentos, como produção de alimentos, óleos, logística, vidros planos, entre outras, que juntas geram 15 mil empregos diretos apenas na Argélia, fora as operações com portos e logística em outros países da África e da Europa, como Espanha, França e Itália.
Lidiane Sousa - Secretaria de Estado de Comunicação.
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário