sábado, 3 de outubro de 2015

Papão luta pelo G-4 hoje em Goiânia

Com o sentimento de que a reação precisa ser imediata, embora os jogadores desconsideram a palavra pressão, o Paysandu está em Goiânia para encarar o Atlético-GO, hoje, a partir das 16h30, no Serra Dourada, pela 29º rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.  Como as duas últimas rodadas não foram favoráveis - derrotas para o Náutico e Vitória -, o Papão amargou uma queda, da vice-liderança caiu para a quarta colocação, posição limite dos clubes que estariam classificados à Primeira Divisão. 

O quinto colocado, o Bahia, tem os mesmos 47 pontos dos bicolores. O caráter competitivo da Série B vai, provavelmente, punir o Paysandu caso tenha o terceiro insucesso seguido.
No entanto, há que se considerar alguns aspectos pró-Paysandu. O primeiro deles é que, apesar dos últimos tropeços, a equipe teve aplicação tática e bons momentos técnicos. Faltou sorte e competência para pôr a bola na rede, é verdade. 

Mas, o fato de não deixar de ser competitivo é um alento. O segundo aspecto é o sentimento de decisão que envolve os atletas da equipe. Todos sabem que a margem de erro é pequena. “Estes 10 últimos jogos serão determinantes para o acesso. Temos que estar 100%. Focados. Precisamos pontuar para dar uma tranquilizada”, salientou o atacante Roni. 

O meia Jhonnatan seguiu o raciocínio do companheiro, mas também abordou a necessidade de o time ser estratégico. “Temos que ter inteligência e ser preciso nas oportunidades que tivermos. Até o empate pode nos tirar do G-4. Então, o objetivo é vencer. O Paysandu será aguerrido, jogará com inteligência e, para isso, não faltará vontade”, garantiu. 

O detalhe é que o estádio Serra Dourada tem tido um público inexpressivo nos jogos do Atlético-GO. A média de pagantes é inferior a dois mil por jogo. O campo de batalha será neutro, mas com uma particularidade.  “(O Serra Dourada) é o maior campo do Brasil em dimensão, então vamos ter muito espaço. 

Treinamos em cima disso, porque vamos ter que nos preparar para não correr tantos riscos, só que vamos ter que sair porque queremos o resultado também”, disse o lateral João Lucas, referindo-se as dimensões de 110m por 75 m, medidas máximas permitidas pela Fifa. A título de comparação, o Mangueirão, casa do Paysandu na Série B, tem 105m por 68m.

Por sua vez, o Atlético-GO, acostumado a atuar no Serra Dourada, preocupa-se em parar algumas peças do Paysandu. O lateral esquerdo Eron falou sobre o confronto com Pikachu. “Eu, particularmente, sempre gostei de jogar contra caras bons assim. É quando testamos nosso potencial. Que ambos possam fazer uma boa partida. Mas vou defender a minha parte”, falou, provocando o adversário. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário