quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Educação de Jovens e Adultos tem procura recorde no Baixo Amazonas

A dona de casa Rosa Assunção Neves, 63 anos, está retomando os estudos. Até o fim do ano ela conclui o nível médio e tenta ingressar em uma faculdade para realizar o sonho de ser bióloga. Rosa faz parte do público do Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEEJA) do Baixo Amazonas, que teve número recorde de procura neste ano letivo. Dos 930 inscritos no ano passado, o número de matrículas subiu 64%, para 1.440. Em todo o Estado são mais de dez mil alunos matriculados em cinco centros regionais.

 Rosa Neves morava em uma comunidade distante da zona urbana no município de Prainha, no oeste do Pará, onde, segundo ela, não é oferecido o ensino regular. Depois que ficou adulta, se mudou para Santarém, onde decidiu iniciar os estudos. A distância em linha reta entre Santarém e Prainha tem 153 quilômetros, mas a viagem é de 244 quilômetros.

Levam-se um dia e duas horas para ir de Prainha a Santarém, onde fica o CEEJA. “Gosto muito de aprender. Estou aprendendo, principalmente, a me comunicar com as pessoas. Gosto muito de todas as disciplinas, mas prefiro biologia, pois quero ser bióloga”, diz Rosa Neves.

Atualmente a Educação de Jovens e Adultos funciona em Santarém na forma semipresencial. O aluno vai até a instituição de ensino, faz a matrícula, recebe o material de estudo e volta para estudar em casa. O estudante tira as dúvidas sobre o conteúdo estudado e recebe orientação de professores do CEEJA, para então ser encaminhado à prova. No sistema semipresencial, o professor cumpre uma carga horária e fica à disposição dos alunos na disciplina que está sendo estudada.

Atualmente o CEEJA de Santarém atende a demanda de todos os municípios e comunidades da região. “Atendemos aquela pessoa que está no anonimato, que não teve oportunidade de frequentar a escola regular devido à jornada de trabalho, por questão familiar ou por morar em regiões ribeirinhas, e hoje nos procuram com a finalidade de iniciar, retomar ou finalizar os estudos. Para isso ofertamos um ensino personalizado, de acordo com a realidade e necessidade de cada aluno”, diz o diretor do CEEJA, Geremias Santos.

Outro fato que chama a atenção na Educação de Jovens e Adultos na região é a grande procura por parte de adolescentes ou jovens que cursam o ensino fundamental ou médio, que estão em distorção de série e idade e procuram o centro para acelerar os estudos e adiantar a chegada ao ensino superior. Para atender a grande demanda, o CEEJA conta com 28 professores das diferentes disciplinas, que trabalham nos três turnos.

Além do ensino personalizado e autonomia de certificação, o CEEJA Santarém contará também com exame permanente nos cinco Centros de Educação de Jovens e Adultos. Nele, o aluno que tiver necessidade de acelerar os estudos vai passar por um processo de exame nas diversas disciplinas.

“Os alunos que ficaram em dependência em qualquer disciplina, por exemplo, no ensino médio, podem procurar futuramente o CEEJA para fazer esta prova e ficarem liberados para concluir os estudos”, explicou. 

O objetivo da banca permanente é dar condições aos alunos que estão com o ensino retido por uma ou duas disciplinas para que deem continuidade aos estudos. “Quem cursou parte do ensino fundamental ou parte do ensino médio e não concluiu também vai poder procurar o Ceja e terminar os estudos”, explica o diretor.
Márcio Flexa - Secretaria de Estado de Educação
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário