sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Agronegócio paraense é reconhecido com premiação

Valorizar um dos setores que mais impulsionam a economia paraense e do Brasil, o agronegócio, foi o principal objetivo da premiação AgroPará, criada pelo DIÁRIO DO PARÁ. A primeira edição do Prêmio teve cerimônia realizada na noite de ontem quinta-feira (17), no auditório Albano Franco, da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa).
Além da importância econômica que o agronegócio ganha no país, a vocação que estado do Pará possui no setor torna ainda mais necessária a exploração desse potencial. “O Pará é o mais promissor Estado brasileiro com potencial de produção, sustentabilidade e especial logística no segmento”, discursou o Diretor Presidente do DIÁRIO DO PARÁ, Jader Barbalho Filho, durante a premiação.

Para Jader Filho, o prêmio é uma ferramenta para reconhecer e impulsionar o setor. “Isso [potencial do agronegócio no Pará] motivou o DIÁRIO DO PARÁ a criar o Prêmio Agropará, em reconhecimento a tudo que esse setor representa em nosso estado. Nós entendemos que as oportunidades de desenvolvimento, avanços econômicos e sociais do Pará passam pela valorização do Agronegócio”, expõe o gestor.

Um dos objetivos esperados é que o setor receba mais incentivos – pelas diversas esferas do poder público – a exemplo do que ocorre em estados como Paraná e Mato Grosso. A segurança jurídica dos produtores também é um fator essencial, que deve ser garantida, por exemplo, com o cumprimento dos mandados de reintegração de posses que tramitam no estado.

Com os investimentos e a atenção necessários, o setor pode alavancar a geração de riquezas e rendas para o estado. “Acreditamos que quanto mais o Agronegócio prosperar, mais impulsionará o Estado rumo a uma melhor distribuição de renda e maior qualidade de vida”, afirma Jader Filho.

PREMIADOS
O AgroPará premiou empreendimentos de 15 categorias do agronegócio. Na Produção Animal, as divisões foram Bovinos, Bubalinos, Equinocultura, Ovinocultura e Suinocultura, Avicultura, Piscicultura e Apicultura.

Já na Produção Vegetal as categorias foram Soja e Milho, Palma, Citros, Açaí, Cacau, Madeira e Mandioca e Feijão Caupi. As empresas foram divididas por categoria de receita líquida e avaliadas pelo aspecto financeiro, de gestão corporativa. (Diário online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário