sábado, 12 de dezembro de 2015

Belém recebe da Unesco título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia

 A eleição de Belém como cidade membro da Rede de Cidades Criativas da Unesco, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), pode impulsionar ainda mais o desenvolvimento do turismo e das cadeias produtivas ligadas à gastronomia. A confirmação da escolha foi feita em Paris, onde fica a sede da Unesco, e anunciada pelo prefeito Zenaldo Coutinho no Palácio Antônio Lemos, na capital paraense. A candidatura foi lançada há alguns meses pela Prefeitura de Belém.
Além de Belém, outras 47 cidades de 33 países integram os novos membros da Rede de Cidades Criativas da Unesco. São escolhidas cidades que se tornam símbolo pelo mundo em sete campos criativos: artesanato e arte popular, design, cinema, gastronomia, literatura, artes de mídia e música. Além de Belém, com a gastronomia, apenas mais duas cidades do Brasil aparecem na lista: Salvador (BA), no campo criativo da música, e Santos (SP), no campo do cinema.

“Este título representa o reconhecimento internacional do valor cultural da nossa gastronomia e uma enorme possibilidade de Belém se destacar ainda mais para o mundo. O grande charme da gastronomia é que ela não é só para a elite, é para o conjunto da sociedade. Todo mundo ganha com este reconhecimento da Unesco”, disse o prefeito Zenaldo Coutinho.

O reconhecimento da Unesco à cultura gastronômica local reforça o trabalho que vem sendo feito em diferentes áreas. “Esse é um selo muito importante, porque insere Belém no contexto das Nações Unidas e demonstra que a gente não está trabalhando sozinho. 

Quando falamos em gastronomia, falamos de uma enorme cadeia produtiva, das mulheres que produzem o cacau para o chocolate até o chocolate gourmet. A gastronomia paraense não traz só o refinamento do paladar; ela tem por trás a antropologia, a história de vidas de famílias, até chegar à mesa”, diz a secretária extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais Isabela Jatene.
 
 Formação – Para ela, a presença da gastronomia de Belém na seleta lista da Unesco valoriza ainda mais o projeto de criação do Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade da Amazônia, anunciado recentemente na ExpoMilão, na Itália, e que chamou a atenção da imprensa nacional e internacional, com vários reportagens sobre o tema.

A proposta de criação do centro também faz parte das comemorações dos 400 anos de fundação de Belém, e foi apresentada ao Governo do Pará e à Prefeitura de Belém por um conjunto de organizações da sociedade civil, lideradas pelo Instituto Paulo Martins (entidade que promove e divulga a gastronomia paraense e amazônica e que organiza anualmente o Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense), o instituto Atá (presidido pelo chef Alex Atala e principal instituição brasileira que trabalha a relação homem-alimento) e o Centro de Empreendedorismo da Amazônia (fundado com o objetivo de estimular negócios sustentáveis e inovação na região).

O secretário de Cultura, Paulo Chaves, diz que a escolha da Unesco deixa Belém honrada. “Chega em um momento muito importante, quando estamos trabalhando pelo nosso Centro Gastronômico, no Feliz Lusitânia, que vem também com esse conceito contemporâneo da gastronomia, mas sem deixar de lado a tradição de nossos pratos, com algumas receitas de mais de 300 anos”, afirma.

Na feira internacional, que ocorreu em outubro, em Milão, a Prefeitura de Belém e Governo do Pará lançaram o evento “Diálogos Gastronômicos”, que vai promover o encontro de chefs renomados de vários países na capital paraense, em agosto de 2016.

Turismo – Lançada em 2004, a Rede Cidades Criativas da Unesco agora compreende 116 cidades em todo o mundo. O objetivo é promover a cooperação internacional entre as cidades, empenhadas em investir em criatividade como motor de desenvolvimento urbano sustentável, além da valorização da inclusão social e a vitalidade cultural.

Segundo Izabela Jatene, com o selo da Unesco, Belém fortalece sua imagem para o turismo por meio de um dos atrativos, que é a gastronomia. “Esse é apenas um pouco do que o turista pode buscar, mas depois que ele chega a Belém, pode ir facilmente para o Marajó, na lancha rápida, e buscar outros destinos, conhecer mais nosso Estado, como as regiões oeste e sul. Enfim, o selo divulga Belém e faz com que as pessoas busquem conhecer mais o Pará e possa, com isso, gerar ainda mais turismo”, frisa a secretária.

Rotas – A inclusão de Belém na lista da Unesco atrai ainda mais a atenção internacional para o Estado. A chegada de novos turistas, especialmente estrangeiros, ganhou reforço em 2014, quando se consolidaram os voos internacionais de Belém a Miami (EUA), por meio da TAM, e Lisboa (Portugal), pela TAP. Em agosto deste ano, a Azul e a Gol passaram a oferecer voos diretos para Caiena, na Guiana Francesa, e Paramarino, no Suriname, respectivamente.
“Esse trabalho começou a partir de 2000, para atrairmos mais turistas, com a inauguração do Complexo da Estação das Docas e outras obras voltadas a preparar a cidade de Belém aos turistas. 

Agora, essa premiação da Unesco escolhendo Belém como cidade da gastronomia criativa, além de ser um presente antecipado de Natal e dos nossos 400 anos, revela que o governo vem investindo certo para fazer do Pará um dos melhores destinos turísticos do Brasil até 2020. É também mais uma oportunidade para a geração de emprego e renda e desenvolvimento do Estado”, diz o secretário de Turismo em exercício, Joy Colares.
Syanne Neno - Secretaria de Estado de Comunicação
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário