quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Estudantes de universidade belga realizam estágio no HRBA

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), além de ser referência no Pará, e no Norte do Brasil, no tratamento de câncer, também tem se tornado importante pólo na área de ensino e pesquisa, sendo credenciado pelos Ministérios da Saúde e da Educação. Mais de 60 trabalhos científicos já foram apresentados em congressos e fóruns nacionais e internacionais. E atualmente, o hospital conta com 12 programas de residência médica, incluindo Cirurgia Oncológica, Neurocirurgia e Ortopedia e Traumatologia.
A visibilidade é tão ampla, que o hospital recebe até estudantes de outros países para intercâmbios, estágios e residências. É o caso das belgas Sara Kaut e Silvie de Weyer, ambas com 23 anos, que estão no sexto ano de Medicina na Universidade de KU Leuven e vieram ao HRBA para um estágio de três meses.

“Na Bélgica, nós podemos escolher onde será o nosso estágio no exterior, e nós escolhemos o Brasil. Um amigo do meu pai disse que Santarém tinha um hospital muito bom, que é o hospital regional”, explica Sara. Os pais da jovem trabalharam 12 anos no Brasil. Inclusive, casaram-se no país e a jovem nasceu em Santarém.

Para desenvolverem o estágio no Brasil, as estudantes fizeram um curso de língua portuguesa, durante dois anos. “É muito difícil falar. Nós aprendemos português de Portugal e a pronúncia é toda diferente”, conta, aos risos, Sara.

O responsável pelo estágio é o cirurgião Marcos Fortes, coordenador da Oncologia do HRBA, que ressalta esse reconhecimento internacional. “É muito interessante. Até agora nós estávamos falando de convênios e de relações nacionais, interestaduais. Quando vem duas pessoas que atravessaram o Atlântico, isso é um sinal de internacionalização”.

O cirurgião também comenta sobre as especificidades do público atendido pela instituição. “Estamos com um hospital encravado no meio da floresta, com uma população que não tem igual em nenhum lugar do mundo, e isso faz com que seja extremamente interessante”.

As conversas para a vinda das estudantes começaram no final de 2014, quando um amigo da família de Sara entrou em contato com o hospital, por meio do Diretor de Ensino e Pesquisa, Luiz Fernando Gouvea. O convênio foi realizado diretamente entre a universidade belga e o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). 

Após a documentação ser aprovada, o cronograma de atividades foi estabelecido. “Elas vão conhecer toda a estrutura hospitalar que a gente trabalha aqui e as características regionais que, com certeza, são doenças diferentes do que elas vivenciam lá, técnicas diferentes”, explica Gouvea.

O estágio é em Cirurgia, mas a ideia é que tenham a percepção de todo o processo: o antes, o durante e o depois do processo cirúrgico. Por isso vão vivenciar o dia a dia no centro cirúrgico, clínicas, ambulatório e UTI, além da experiência no setor de Oncologia – que o hospital é referência.

“É muito interessante fazer nosso estágio aqui porque tem outras patologias, como dengue e malária, e as fraturas dos mototáxis”, diz Sara. Apesar do pouco tempo no Brasil, ela já sentiu algumas diferenças entre os países.  “A cultura é muito diferente, mas a diferença maior são as pessoas. Todo mundo é muito gentil, ajuda. Na Bélgica não é assim”.

As estudantes começaram o estágio no hospital no dia 14 de outubro e vão ficar até 7 de janeiro. “Santarém é uma cidade muito bonita. Eu não conheço o Brasil, é a minha primeira vez aqui. Tudo novo para mim”, finaliza Silvie.
JOAB FERREIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário