sábado, 23 de janeiro de 2016

Campanha do HRBA promove a coleta de quase 90 bolsas de sangue

Cerca de 100 pessoas participaram da campanha 'Eu Compartilho Vida' promovida pelo Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). Foram coletadas 89 bolsas de sangue durante dois dias. Voltado aos colaboradores, pacientes e acompanhantes, a ação buscou incentivar novas doações.
 Realizada durante dois dias, na recepção das Unidades de Terapia Intensivas (UTI’s) do HRBA, a campanha que acontece desde 2012, contou com 97 candidatos no posto de doação, mas oito foram considerados inaptos. “Sem doação, não existe sangue disponível, nem cirurgias. Todos nós podemos vir a ser um usuário e necessitar da realização de uma cirurgia. Portanto, doação é um ato de amor, de carinho e que salva vidas”, lembrou o diretor geral do HRBA, Hebert Moreschi.

Durante a campanha, a enfermeira Lene Cavalcante doou sangue pela primeira vez por incentivo de uma colega de trabalho. “Tem tantas pessoas que precisam, e esse sangue não salva só uma pessoa, pode salvar várias”, revelou Lene. Agora, ela pretende doar com mais frequência.

Gestos simples como o de Lene podem fazer muita diferença na vida de outras pessoas. É o caso de José Estevan da Silva, que realiza tratamento oncológico no HRBA desde o ano passado, e sempre precisa de bolsas de sangue. “Quem puder doar, doe. Há muitos pacientes que nem eu precisando dessas doações”, comentou.

CIRURGIAS
Por mês, o HRBA tem uma média de 360 cirurgias, o que exige um grande número de bolsas de sangue. Mas, em alguns períodos do ano, o número de doações cai, comprometendo o estoque da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).  Como entidade que mais consome bolsas de sangue no oeste do estado, o hospital apoia a coleta de sangue.

CRITÉRIOS PARA DOAR SANGUE
Para doar sangue, basta estar: bem de saúde; alimentado; pesar 50 kg ou mais; ter entre 16 (com autorização dos pais ou responsáveis) e 69 anos; não ter tido hepatite após dez anos de idade; não ter doença de Chagas ou contato com o inseto transmissor, o ‘barbeiro’; não ser portador de epilepsia; não ter feito tratamento dentário nas últimas 72 horas; e não ter diabetes. As mulheres devem estar fora do período gestacional e de amamentação. Homens podem realizar doações a cada 60 dias; mulheres, no intervalo de 90 dias.
JOAB FERREIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário