quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Estado e Ministério das Comunicações estudam parceria para expandir rede de fibra ótica

Um dos desafios do Ministério das Comunicações para os próximos anos é a universalização da banda larga e o Pará está entre os estados interessados em firmar parcerias que possibilitem a expansão da rede de fibra ótica em todo o seu território. Atualmente, a rede de transporte de dados que utiliza esse tipo de tecnologia chega a 47% das cidades brasileiras. A meta do MiniCom é ampliar essa cobertura para 90% até 2018.

A coparticipação do Estado nesse processo foi o tema principal da audiência realizada na manhã desta quarta-feira, 13, entre o governador Simão Jatene e o ministro das Comunicações, André Figueiredo, com a participação do presidente dos Correios, Giovani Queiroz; do presidente da Assembleia Legislativa do Pará, Márcio Miranda; do deputado estadual Miro Sanova, além de secretários de governo e equipe técnica do Ministério.

Temos grande interesse em melhorar a oferta de tecnologia na transmissão de dados, via internet e telefonia, nos municípios paraenses, especialmente os que não possuem acesso de qualidade a esse serviço. Essa parceria fortalecerá o trabalho que já vem sendo desenvolvido pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodepa)", afirmou o governador, destacando a capacidade de endividamento do Pará como fator determinante para o sucesso dessa cooperação. 

"Essa condição nos permite buscar empréstimos e investir fortemente em projetos como esse. Se o governo federal estiver disposto a isso, pode contar com a nossa participação”, assegurou.

Atualmente apenas 24% da internet oferecida no Pará é feita por banda larga. O maior volume de transmissões de dados ainda utiliza ondas de rádio (50%) e satélite (26%). Jatene lembrou que o Pará, por sua localização, tem chamado a atenção de investidores dos mais diversos segmentos empresariais por constituir uma alternativa mais viável para o escoamento de produtos ao mercado internacional. 

E para isso o governo está investindo em infraestrutura e logística, como forma de assegurar condições para que esses empreendimentos se estabeleçam em solo paraense. Esse é um bom momento para sinalizarmos ao mercado as nossas vantagens competitivas”, avaliou o governador.

O ministro das Comunicações reconheceu os desafios do Pará diante das dimensões continentais de seu território e acenou com a possibilidade de uma ação interligada entre os governos federal e estadual para transpor esses obstáculos e implantar redes de fibra ótica em locais de difícil acesso ou onde o custo do serviço é muito elevado. 

“Sabemos dessas dificuldades, mas pensar em progresso hoje sem a disponibilidade de uma internet rápida é algo impraticável, e ver que o governo estadual tem toda disposição de investir conosco é extramente auspicioso. Certamente, em breve, teremos boas noticias aqui para o estado do Pará”.
De acordo com o Ministério das Comunicações, dos 262 municípios contemplados pelo projeto Cidades Digitais, 24 estão no Pará. O objetivo é possibilitar todas as repartições públicas localizada nessas cidades disponham de uma conexão de internet em alta velocidade, por meio de rede de fibra ótica. "As escolas, por exemplo, que hoje trabalham com uma velocidade de transmissão média de dois megas, poderão contar com internet mais rápida, de até 80 megas. Com isso, o governo federal pretende alcançar 70% dos municípios brasileiros, que juntos somam quase 95% do contingente populacional do País. Aonde não pudermos chegar com a fibra, chegaremos através de satélite”, explicou o ministro André Figueiredo.

Os municípios que irão receber o projeto Cidades Digitais se candidataram por meio de uma chamada pública. As cidades paraenses que tiveram seus projetos aprovados foram: Água Azul do Norte, Almeirim, Augusto Correa, Baião, Chaves, Conceição do Araguaia, Curralinho, Curuçá, Goianésia do Pará, Itaituba, Mãe do Rio, Marituba, Muaná, Novo Progresso, Óbidos, Pacajá, Palestina do Pará, Paragominas, São domingos do Araguaia, São Sebastião da Boa Vista, Soure, Trairão, Tucuruí e Uruará.

O diretor-presidente da Prodepa, Théo Pires, acredita que o projeto trará melhorias ao serviço público municipal e facilitará o acesso das sedes à internet de alta velocidade. Segundo ele, o governo estadual tem buscado novas alternativas para promover o acesso à internet nos municípios do interior, com preço justo e serviço de qualidade. Por meio de uma parceria inédita com a Celpa, o governo vai implantar rede de fibra ótica em Ponta de Pedras, primeiro município do arquipélago marajoara a receber esse serviço.

“O governo do Estado preparou a infraestrutura terrestre tanto no lado do continente, em Barcarena, como da baía do Marajo, no município de Ponta de Pedras. A interligação entre esses dois pontos será feita por meio do lançamento de cabos elétricos subaquáticos, que conduzirão a fibra ótica, trabalho esse que ficará a cargo da Celpa. 

Esta é primeira vez que se utiliza a tecnologia de emissão submarina para interligação com o arquipélago. Isso nos dá a possibilidade de implantar e disponibilizar serviços melhores à população marajoara e Ponta de Pedras será a porta de entrada deste serviço”.

Selos Comemorativos - O ministro das Comunicações, André Figueiredo, veio a Belém participar do lançamento dos selos comemorativos pelos 400 anos da cidade, realizado na noite de terça-feira, 12, em cerimônia no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. Os oito modelos da série "Maravilhas de Belém do Pará" já podem ser encontrados nas agências dos Correios de todo o País.
Dani Filgueiras - Gabinete do Governador
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário