sábado, 20 de fevereiro de 2016

Consumidor nortista diminui procura por crédito em 2016

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de consumidores da região Norte que buscou crédito em janeiro de 2016 caiu 3,9% em relação ao mesmo mês do ano passado (jan/2015). Comparativamente ao último mês do ano passado (dez/2015) a queda foi de 1,6%. Em todo o Brasil, essas reduções foram de 2,6% e 0,6%, respectivamente.


O recuo foi observado também em todas as regiões geográficas do País. No Nordeste o decréscimo foi de 8,2% no acumulado anual ao passo que o Centro-Oeste a queda foi de 6,8%. O Norte aparece em terceiro, seguido pelo Sul (-0,7%) e o Sudeste (-0,3%). 

Na comparação mensal, isto é, referente a janeiro/16 e dezembro/15, houve crescimento na demanda do consumidor por crédito no Centro-Oeste: alta de 1,4%. No Sudeste ficou estagnada. Nas demais regiões houve queda na procura do consumidor por crédito: Sul (-3,5%); Norte (-1,6%); Nordeste (-0,2%).

De acordo com os economistas da Serasa Experian, juros e inflação altos, desemprego em ascensão e baixo grau de confiança estão afugentando os consumidores do crédito, a exemplo do que ocorreu ao longo de todo o ano passado. Na comparação com janeiro do ano passado, houve recuo na procura por crédito em todas as classes de renda mensal. O maior deles foi a retração de 7,1% para quem ganha até R$ 500 por mês.

Para os que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 a queda foi de 2,8%. Para aqueles que recebem mais de R$ 10.000 por mês, o recuo na demanda por crédito em janeiro/16 (perante janeiro do ano passado) foi de 2,7%. Para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês e para os que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais, o recuo em janeiro/16 foi idêntico: -1,8%. Por fim, os que recebem entre R$ 2.000 e R$ 5.000 recuaram sua demanda por crédito em 1,6%.

Na variação mensal, a busca do consumidor por crédito também recuou em todas as faixas de renda em janeiro/16: consumidores que ganham até R$ 500 por mês (-3,1%); renda mensal entre R$ 500 e R$ 1.000 (-0,6%); renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000 (-0,2%); renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000 (-0,2%); renda mensal entre R$ 5.000 e R$ 10.000 (-0,1%) e renda mensal maior que R$ 10.000 (-0,3%).

O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CPFs, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário