quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Novo Hospital Regional do Tapajós vai ampliar rede pública de saúde no interior

A estrutura do prédio principal, de seis andares, já está pronta e se destaca na paisagem, chamando a atenção dos moradores do município de Itaituba, no oeste do Estado, para o avanço nas obras de construção do novo Hospital Regional do Tapajós, que terá 160 novos leitos, sendo 10 de UTI adulto, 10 de UTI neonatal e 10 de UTI pediátrica. A obra é mais um passo importante na política de regionalização do atendimento em saúde que vem sendo desenvolvida pelo governo Jatene desde o seu primeiro mandato, quando teve início o projeto de construção dos hospitais regionais.

Orçado em R$ 121 milhões, o Hospital Regional do Tapajós tem aproximadamente 28 mil metros quadrados de área construída. No canteiro de obras o movimento é intenso. Após a conclusão da estrutura, cerca de 80 operários se concentram agora nos serviços de alvenaria e instalações elétricas e hidráulicas.

“Nós já estamos com cerca de 40% da obra executada. O projeto inclui ainda a construção de prédios térreos, anexos à torre principal, onde vão funcionar a estação de tratamento de esgoto, lavanderia, subestação interna de geração de energia, reservatório de óleo e cisterna”, explica o engenheiro Paulo Henrique da Silva, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, responsável pela obra.

Mais saúde
No novo hospital serão oferecidos diversos serviços e especialidades em alta e média complexidade, como clínica médica, cirurgia, pediatria, obstetrícia e traumato-ortopedia. Além disso, o prédio abrigará um completo centro de diagnóstico por imagem, com aparelhos de raios-X, ultrassom e outros. O Regional do Tapajós também vai dispor de seis salas de cirurgia, além de 22 máquinas para hemodiálise. A previsão é de que a obra seja concluída no primeiro semestre de 2017.

A meta do governo Jatene é ampliar a rede pública de saúde no Estado e melhorar o atendimento à população que vive no interior. Por isso, o governo também investe na construção do Hospital Regional de Castanhal, na conclusão do Abelardo Santos, em Icoaraci, na reforma e ampliação do Hospital Santa Rosa, em Abaetetuba, e na conclusão do Hospital Materno-Infantil, em Barcarena.

Em discurso recente na abertura do período legislativo, quando prestou contas das ações do governo, Simão Jatene fez questão de ressaltar os investimentos na saúde, lembrando que essa área sempre foi prioridade nos seus três mandatos. “Há apenas 12 anos, só havia hospital público de alta complexidade em uma cidade do Pará: na capital, Belém. 

Hoje temos em Ananindeua, Marabá, Santarém, Altamira, Redenção, Breves, Paragominas e Tailândia, atendendo as várias regiões do estado com serviços de alta qualidade”, lembrou o governador. E concluiu: “Mas não apenas o interior foi atendido por essa corajosa política. Na região metropolitana: a nova Santa Casa, o Jean Bitar e o Galileu foram agregados à rede pública que, mais recentemente, passou também a contar com o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, para atendimento de crianças e adolescentes, com 98 leitos, sendo 10 de UTI”.
Marlicy Bemerguy - Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário