sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Praias de Santarém são aprovadas em teste de balneabilidade

Uma pesquisa feita pelo Laboratório de Biologia Ambiental da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) apontou que as praias de Santarém estão próprias para banho. As coletas para testes foram realizadas na Ponta do Muretá, Praia de Alter do Chão, Ponta de Pedras (Foto) , Pajuçara e Maracanã, no período de novembro a dezembro de 2015 e divulgadas nesta sexta-feira (5).

O estudo foi feito no período de vazante do rio, quando o fluxo de banhistas na praia é maior. De acordo com a pesquisa, que se baseou na resolução 274 do Conselho nacional de Meio Ambiente (Conama), todos os locais apresentaram condições de qualidade própria/excelente, com exceção da praia do Maracanã que apresentou condição própria/satisfatória.

“Está própria, mas está em condição de alerta. Nós visualizamos que nas três primeiras coletas que fizemos cerificamos que a água não era do rio Tapajós, era do rio Amazonas. O Amazonas estava adentrando no Tapajós. Estamos interpretando que neste momento o Amazonas levou um pouco de água de pior qualidade. As duas últimas coletas o resultado foram bem melhor”, explicou o coordenador do laboratório da Ufopa, professor Reinaldo Peleja.

Peleja ressaltou que uma nova coleta deve ser realizada na Praia do Maracanã no dia 13 de fevereiro, período em que o rio Tapajós vai estar mais puro, para identificar se os parâmetros permanecem.

Este é o primeiro Boletim de Monitoramento de balneários localizados no lado direito do Rio Tapajós. A pesquisa inicialmente foi realizada somente na Vila de Alter do Chão, mas a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) achou necessário ampliar para os demais balneários para que os banhistas sejam informados sobre a qualidade das águas.

Alter do Chão com água própria/excelente
Em maio de 2015 o mesmo laboratório realizou um estudo em alguns pontos de Alter do Chão. A primeira pesquisa foi feita no período de cheia do rio quando o movimento de banhistas é menor e apontou a praia própria para banho.Os únicos pontos que apresentaram condições "impróprias" à época foram a escadaria da orla, final da orla e os fins de linhas de galerias pluviais.

O novo laudo, agora com o rio secando, demonstrou que os locais em condições próprias para banho e recreação (Veja o mapa). “Os resultados melhoraram. Tiveram pontos no relatório passado que apresentaram condições satisfatórias. O que visualizamos é que foi feita intervenção radical na praia. As galerias não estavam drenando líquidos formando aqueles caminho até a praia”, justificou Peleja.

Monitoramento anual
Segundo o titular da Semma, Podalyro Neto, serão gerados dois relatórios constantes, um no período de cheia e outro na vazante do rio. Se identificadas instabilidades, as áreas serão devidamente sinalizadas.

“Um ano após as informações que foram divulgadas de maneira precipitada informando que as águas não estavam em condições, fizemos um estudo baseado na legislação resolução 274, que tem que ter repetições durante cinco semanadas e está próprio”.
Os relatórios anuais fazem parte do Programa de Monitoramento das águas que tem como objetivo controlar a qualidade do líquido tanto para consumo humano (análise potabilidade), quanto para banho nas praias (análise de balneabilidade).

A Semma planeja ampliar mais os estudos de balneabilidade chegando aos igarapés do município. A ideia é gerar informação mais segura aos usuários. (G1 Santarém)

Nenhum comentário:

Postar um comentário