sexta-feira, 11 de março de 2016

Jornal Nacional faz editorial contra ataques de MST, CUT e militantes do PT

O Jornal Nacional, da Rede Globo, fez ontem quinta-feira (10) uma ampla defesa ao trabalho dos jornalistas. O jornal aproveitou a reunião entre representantes da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) com o ministro da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, para pedir respeito aos profissionais de imprensa. Em um ofício entregue aos ministros, a Abert e entidades como a Associação Nacional de Jornalismo Investigativo e a Associação Nacional de Jornais pediram ao governo atitude para enfrentar o aumento da violência contra jornalistas. 

No último dia 4, por exemplo, manifestantes foram para a porta da Rede Globo, em Brasília, protestar contra a cobertura da emissora no caso Lula. Os manifestantes picharam a fachada da empresa e entraram em confronto com a polícia.
Em uma carta, as associações destacam que nos últimos dias, uma sucessão de atos de intimidação e de agressões vem sendo praticada contra jornalistas, no exercício da profissão, e os meios de comunicação.
"Tais acontecimentos somam-se aos 116 casos de ameaças, intimidações, vandalismos, agressões físicas e homicídios praticados contra os profissionais da imprensa no ano de 2015, e que colocam o país no ranking de quinto local do mundo mais arriscado para o exercício da profissão.É equivocado o pensamento daqueles que creem que os veículos de comunicação são protagonistas do processo político.
A imprensa cumpre seu papel constitucional de cobrir e reportar os fatos de interesse da sociedade. É lamentável, portanto, que as empresas cheguem ao ponto de ser obrigadas a colocar em prática esquemas especiais de proteção a seus repórteres, jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos e técnicos. As agressões, danificações de equipamentos ou qualquer ato de vandalismo são formas de intimidar e cercear o trabalho dos veículos de comunicação.”
Em entrevista coletiva, o ministro Edinho Silva afirmou que o governo tem manifestado preocupação com a intolerância que cresce no País.
"Nós temos manifestado a preocupação do governo federal com esse ambiente de intolerância que cresce no país. (…) O governo federal é contra qualquer tipo de manifestação de violência à restrição da liberdade de imprensa e da liberdade de opinião.”
O ministro afirmou que informará a presidente da preocupação das associações.

Em nota, a Associação Nacional de Jornalismo condenou a ação do Movimento dos Trabalhadores sem Terra que fez jornalistas reféns no Paraná. O movimento nega que tenha feito a equipe refém. (msn/Notícias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário