quarta-feira, 23 de março de 2016

Multinacional francesa vai investir mais de R$1 bilhão no estado do Pará

Mais uma multinacional se instala em território paraense de olho nas oportunidades logísticas do Pará. O presidente da Louis Dreyfus Company (LDC) no Brasil, Adrian Isman, se reuniu com o governador Simão Jatene nesta quarta-feira (23), para apresentar os projetos que a empresa planeja desenvolver no estado. Os recursos que ultrapassam um bilhão de reais é o maior investimento que a empresa está fazendo no Brasil. O encontro aconteceu no Palácio do Governo.

A intenção da Louis Dreyfus Company, multinacional de origem francesa, é investir em um completo sistema logístico no Pará. “Nós não ‘vamos’ investir, já estamos investindo. Já estamos fazendo”, afirmou Adrian Isman, se referindo as barcaças e empurradores que estão sendo construídos pela LDC em Belém, para compor o comboio para transporte de grãos.

A empresa pretende montar uma estrutura hidroviária com saída da região sul do Pará, para a região norte do estado, com destino internacional. A navegação das barcaças deve iniciar em 2018.

A LDC também está investindo na aquisição de terrenos para a construção de transbordos e portos em Vila do Conde, em Barcarena, e localidades circunvizinhas, além de fazer estudos para a construção de um porto às margens do Rio Tapajós, em Santarezinho, no município de Rurópolis. A primeira de quatro fases do projeto deve gerar 500 novos empregos no Pará, mas a perspectiva é criar mais postos de trabalho e incentivar a diversificação de negócio.

“Além de procurarmos áreas que sejam propícias para o desenvolvimento dos nossos projetos, buscamos terrenos que permitam deixar um espaço reservado para a instalação de parques industriais”, contou Adrian Isman ao explicar que a companhia costuma investir em projetos que podem crescer e se diversificar ao longo dos anos. 

Para o presidente da empresa no Brasil, o investimento no Pará tem todos os componentes necessários para o sucesso da operação, seguindo o mesmo padrão de desenvolvimento em outros lugares do mundo.  “A gente já conhece a história. Depois da capacidade de movimento de escoamento da produção vem o investimento nos produtores que ficam mais eficientes. Depois disso vem a indústria primária, em seguida a indústria da carne. 

É uma cadeia que a gente acompanha nos últimos 105 anos no mundo inteiro e hoje o Pará está começando essa cadeia”, reiterou Isman que creditou a vinda da empresa para o Pará às condições que estão sendo fomentadas pelo Estado. “O Pará já estava no nosso mapa de investimentos há muito tempo. Mas hoje, com essas condições de produção e fomento de investimento, viemos investir aqui”, pontuou.

O governador Simão Jatene destacou que o Estado tem interesse em empresas que fomentem emprego e renda na região. “Grande parte do que estamos construindo no governo no sentido de desenvolvimento da logística no nosso estado vai nessa direção. 

Na história da Amazônia temos uma sucessão de ciclos extrativistas, que não nos ajudam a enfrentar os nossos dois grandes desafios que é superar a pobreza e a desigualdade. Sabemos dos potenciais que o Pará tem e queremos que o nosso povo tenha a contrapartida disso, para isso precisamos agregar valor ao que temos aqui”, reiterou o governador.

Na ocasião, Jatene também falou que o Estado está trabalhando em parceria com a ONU Habitat. A instituição tem auxiliado o Governo no direcionamento das instalações de grandes empresas no Pará. “Temos absoluta clareza que não vamos a lugar nenhum se não construirmos parcerias estratégicas. Nosso desejo é que as empresas venham pra cá e gerem resultados positivos tanto para elas, como para a população e estamos nos instrumentalizando para alcançar isso”, informou Jatene.

A Louis Dreyfus Company (LDC) está desde 1851 no setor de commodities. A multinacional que iniciou suas atividades na França com o transporte de grãos, atualmente atua em quase todas as frentes da cadeia de alimentação. Presente em mais de 90 países através de 13 plataformas de negócios, a empresa chegou ao Brasil em 1942, e tem representação em diversos estados brasileiros, localizados principalmente nas regiões Centro Oeste, Sul e Sudeste. Entre as atividades desenvolvidas pela empresa no país estão terminais portuários, processamento de oleaginosas, misturadoras de fertilizantes e armazéns de estocagem.

Acompanharam a reunião os secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, e de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Luiz Fernandes; e os representantes da LDC, Luis Barbieri, diretor de plataforma oleaginosas; George Takahashi, diretor de projetos logísticos; e Eloiso Araújo, gerente de sustentabilidade.
 Dani Filgueiras - Gabinete do Governador
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário