segunda-feira, 25 de abril de 2016

Balança comercial acumula saldo positivo no Pará

Em março deste ano, as exportações do Pará atingiram US$ 750,719 milhões, enquanto as importações somaram US$ 185,650 milhões, sendo gerado saldo positivo de US$ 565,068 milhões na balança comercial paraense. Apesar de superavitário, esse resultado foi 23% menor do que o apresentado no mesmo mês do ano passado, quando as transações internacionais paraenses alcançaram saldo de US$ 736,733 milhões. Como destaque, em março deste ano, a balança comercial do Estado foi a terceira entre as unidades federativas do país. Foi superada, apenas, por Mato Grosso (US$ 1,667 bilhão) e Minas Gerais (US$ 1,134 bilhão), com o primeiro e o segundo maior saldo, respectivamente.

O desempenho do comércio internacional do Pará teve como principais produtos exportados o minérios de ferro (US$ 277 milhões), minérios de cobre (US$ 121 milhões) e alumina calcinada (US$ 116 milhões). Em relação ao minério de ferro, o valor exportado foi 20% menor se comparado a março de 2015, fato conexo ao preço da commodity mineral que registrou, nos últimos 12 meses, expressiva retração.

Contudo, ressalta-se que, em março deste ano, o preço do minério de ferro apresentou crescimento de 40% na comparação com dezembro de 2015, marcado por três meses seguidos de elevação. Soma-se, ainda, o maior volume vendido de minério de ferro, tendo registrado em março deste ano incremento de 27% na quantidade exportada.

O registro favorável de exportação de minério faz-se também à bauxita, que obteve tanto aumento no valor (40%), quanto na quantidade exportada (37%), quando comparado o mês de março desse ano com o ano anterior, desempenho que colocou o produto como o sexto de maior valor exportado pelo Pará. 

Como a bauxita é a principal matéria prima para a produção de alumínio, o crescimento dessa commodity na pauta exportadora do Estado soma-se ao desempenho da produção de alumínio paraense, que, dessa forma, evidencia tanto o setor extrativo mineral quanto a indústria de transformação através da atividade metalúrgica. 

A esse respeito, ressalta-se que o alumínio nos três primeiros meses de 2016 apresentou crescimento de 7% na quantidade exportada comparando com o igual período de 2015, marcado pela retomada da demanda do mercado internacional, fato que contribuiu para o crescimento da indústria metalúrgica no Estado de 5,5% no acumulado de 2016.

Na análise do comércio exterior referente aos produtos agropecuários, os principais da pauta exportadora apresentaram incremento no valor exportado, com a pimenta-do-reino obtendo total ofertado de US$ 18,230 milhões e a soja US$ 8,312 milhões, sendo que a variação foi de 150% e 200%, respectivamente. 

Acrescenta-se nessa análise a exportação de carnes desossadas de bovino congeladas com valor exportado de US$ 27,435 milhões em março de 2016, ante US$ 12,303 milhões no mesmo mês do ano anterior.

 Mesmo com as exportações de carnes desossadas de bovino congeladas, atendendo o setor industrial paraense, o elemento convergente com o setor agropecuário do Estado passa pelo fato da produção bovina paraense abastecer os frigoríficos exportadores, contrapondo à pratica de exportação de bovinos vivos, que, no último mês, registrou retração de 78% na quantidade de boi exportado.

Em março, o município paraense que se notabilizou na condição de maior exportador do Estado foi Parauapebas, contabilizando US$ 272,793 milhões, valor 24% menor do que o de março do ano passado. O minério de ferro respondeu por 98% da pauta exportadora do município, obtendo expansão da quantidade exportada de 22%, não ocorrendo o mesmo com o valor, tendo retraído 23%, na comparação com março de 2015. Ressalta-se que o município de Parauapebas é o maior exportador de minério de ferro no Brasil, concentrando 34% das exportações brasileiras desse produto em março de 2016.

Em segundo lugar apareceu Barcarena que alcançou a cifra de US$ 179,346 milhões, com acréscimo de 3,55%, sendo a alumina calcinada responsável por 65% do valor ofertado pelo município ao comércio exterior e incremento de 11,35% na quantidade exportada. Destaca-se, também, a exportação de alumínio que assegurou 20% do total exportado pelo município, com incremento de 48% do quantitativo. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário