segunda-feira, 4 de abril de 2016

Modelo integrado de segurança traz resultados positivos no Pará

Um conceito pioneiro que busca integrar as polícias (Civil e Militar) e melhorar os serviços prestados à comunidade vem ganhando destaque no Pará. A construção de unidades integradas de policiamento e a reforma das delegacias e seccionais já existentes vem fortalecendo o sistema de segurança pública em todas as regiões do Estado e já soma 50 novas delegacias e cinco novos polos do Pro Paz Integrados entregues à população, além de 55 prédios reformados. Em alguns desses espaços é possível dispor de atendimento com assistente social e psicólogo e até retirar documentos de identificação.

Uma das mais recentes unidades entregues, no último dia 30, foi a nova Seccional da Cidade Nova. O prédio passou por uma reforma estrutural que durou dez meses e agora conta com alojamento e área de estacionamento mais amplos e climatizados. Os ambientes internos, na área de atendimento ao público, também foram revitalizados, assim como as instalações elétricas. A obra foi financiada com recursos do Fundo de Investimento de Segurança Pública do Pará, no valor de R$ 702 mil.

“Esse modelo, que trabalha a integração, faz com que a população ganhe com a otimização no atendimento. As polícias estão juntas em uma estrutura adequada e bem equipada”, garante o delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino. Dentro do programa do governo do Estado, 39 novas unidades estão em construção e deverão ser entregues nos próximos anos. Ao todo, mais de R$ 100 milhões serão investidos em obras na área da segurança pública.

Para o secretário de Segurança Pública do Pará, Jeannot Jansen, o principal benefício desses investimentos está no componente humano, seja o servidor que atua nesses espaços ou a população. "Integrar as polícias gera mais eficiência e economia. Mas é preciso estar motivado para que os resultados apareçam.

 Portanto, é prioridade do governo investir não apenas nos espaços físicos e equipamentos, mas, acima de tudo, no pessoal, por meio de cursos e treinamentos. Se além de maquinário e tecnologias, que darão suporte para um trabalho mais preciso e ágil, pudermos contar com pessoas motivadas, certamente teremos um resultado bastante positivo", argumenta.

Resultados - Considerado um dos bairros com maior índice de criminalidade de Belém, o Guamá hoje começa a escrever uma nova história que nada tem a ver com esse título. Na região, foi instalado o primeiro modelo de delegacia integrada do estado, em 2011. Um novo prédio foi construído e adaptado às necessidades da comunidade local, oferecendo salas para as polícias militares e civis, sala de reconhecimento e lavratura de procedimento, além de abrigar um polo Pro Paz e garantir a expedição de carteiras de identidade.

As estatísticas da polícia mostram que, na comparação com o ano anterior, houve uma redução em 14,6% nos casos de homicídios registrados no bairro em 2015. Em relação às ocorrências de roubo, a queda foi de 11,29%. Para o delegado Daniel Castro, diretor da seccional, o sucesso deste trabalho está associado à parceria que a polícia tem com a comunidade. 

“É importante desmistificar esse estigma que a polícia tem de ser dura, ser violenta. Nos aproximando das pessoas, passamos credibilidade e com isso a comunidade acaba nos ajudando também. É uma troca saudável”, acredita.

A procura pelo Disk Denúncia também apresentou um aumento, possibilitando respostas mais rápidas para os crimes. Segundo o delegado, no espaço de um mês, 80% dos homicídios foram elucidados graças às denúncias anônimas, enquanto que a apreensão de entorpecentes representou 70% das ligações feitas.

Os índices de violência vêm reduzindo não só no Guamá, mas em outras áreas onde já existem as delegacias integradas, inclusive nos municípios que estão fora da Região Metropolitana de Belém. “Não basta somente a ação policial, é a ação conjunta de organismos das diferentes áreas que efetivamente garante a diminuição destas estatísticas, integrando-se à comunidade e indo ao encontro das principais necessidades da população”, ratifica Jeannot Jansen.
Bianca Teixeira - Secretaria de Estado de Comunicação
Agência Pará de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário