quinta-feira, 21 de abril de 2016

Preço médio do "pão nosso de cada dia" sobe quase 11% em três meses

O preço do quilo do pão teve um reajuste acumulado de 11% nos três primeiros meses do ano. O valor é acima da inflação, que está em torno de 3%. É o que mostra a pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgada ontem. O levantamento foi realizado em padarias, mercearias e supermercados na Região Metropolitana de Belém, considerando o quilo do pão francês (o popular careca). O aumento no preço do trigo influenciou nesse reajuste.

 “A justificativa do setor para os aumentos verificados no primeiro trimestre deste ano continua sendo a alta do dólar, que elevou, com isso, o preço do principal insumo do pão, o trigo. Outro fato alegado pelo setor empresarial foi o aumento de custo relacionado ao frete, motivado por aumentos nos combustíveis.

O Brasil continua importando o trigo, principalmente da Argentina, com isso os reajustes que começam nos insumos, terminam no consumidor final, que adquire diariamente o gostoso pãozinho”, analisou Roberto Sena.

Segundo o Dieese, o quilo do pão careca estava custando em média R$ 9,67 em janeiro. Em fevereiro, foi comercializado em média a R$ 10,25 e, no mês passado, o valor médio subiu para R$ 10,59. Com isso, o quilo do pão apresentou um aumento no mês de março de 3,32% em relação aos preços de fevereiro. 

Os três meses juntos possuem uma alta acumulada no preço de quase 11%, contra uma inflação de 2,93% (INPC/IBGE) calculada para o mesmo período. O Dieese informa na pesquisa que os preços podem variar de local para local, oscilando entre R$ 9,00 e R$ 12,00 o quilo ou entre R$ 0,45 a R$ 0,60 a unidade de 50 g. 

O comerciante Libanio Martins, que há 50 anos trabalha no setor da panificação, comenta que realmente precisou aumentar o quilo do pão por causa do aumento do trigo. Mas ressalta que não foi um aumento tão elevado em comparação com outras panificadoras. “Eu procuro não prejudicar o consumidor. 

Antes, o quilo era R$ 8,00 e agora é R$ 10,00. Aqui o preço é justo. Infelizmente teve um aumento no preço do trigo e não teve como não aumentar o do pão, mas o consumidor não deixou de comprar. Talvez mudou a quantidade. Se antes levada cinco unidades, agora leva só quatro”, afirma.

Na padaria onde trabalha Zedequias Ferreira, o quilo passou de R$ 9,00 para R$ 12,00. “Mas as pessoas continuam comprando. O pão é tradicional da mesa do paraense. O aumento foi necessário por causa do aumento dos insumos”, reforça.

A vendedora Claudiane Quadros, 27 anos, está acostumada a comer pão no lanche da tarde. Ela conta que percebeu o aumento, mas nem por isso deixou de consumir o alimento. “Até achei que não aumentou muito. Ainda está com o preço bom. E eu continuo comendo pão na hora do lanche da tarde”, diz.
(O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário