sábado, 9 de abril de 2016

Vírus da gripe influenza faz terceira vítima em Belém

Subiu para três o número de pessoas que morreram, em Belém, por causa do vírus H1N1. A terceira vítima foi um homem de 66 anos, que estava internado no Hospital Ophir Loyola. Apesar das mortes e do anúncio feito ontem pelo Ministério da Saúde de que as vacinas já foram distribuídas aos estados e que há autonomia para antecipar a vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) garante que só no dia 18 as doses deverão ser repassadas ao município de Belém, pela Secretaria de Estado da Saúde (Sespa), e que o calendário local deve obedecer ao que está previsto nacionalmente, com início da campanha no dia 30 de abril.

A confirmação da terceira morte foi feita ontem de manhã pela diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da Sesma, Leila Flores. Ela disse que o homem enfrentava problemas cardíacos e sofria de doença renal crônica. Antes, duas crianças haviam morrido. A primeira estava internada no Hospital Universitário João de Barros Barreto e faleceu no último domingo, 3. A segunda morte ocorreu no Hospital Porto Dias. As três vítimas moravam em Belém.

O dia da terceira morte não foi divulgado, mas a informação veio a público somente na última quinta-feira, 7. “Em todos os três óbitos registrados até agora as pessoas tinham doenças pré-existentes”, argumentou Leila Flores. Segundo ela, as duas crianças que morreram - além de não estarem vacinadas - tinham doenças pré-existentes: uma sofria de problemas neurológicos e a outra de problemas pulmonares. Quanto ao homem de 66 anos, acumulava problema cardíaco e doença renal crônica. “Esse número é preocupante. A gente não quer que ocorram mortes por doenças”, disse Leila. 

A diretora acrescentou que todas as vítimas fazem parte de grupos prioritários, por serem menores de dois anos e portadores de doenças, e explicou que os casos evoluem mais quando as pessoas já apresentam doenças pré-existentes ou um grau maior de vulnerabilidade, caso em que se inscrevem crianças de pouca idade e pessoas com idade avançada.

A campanha nacional de vacinação contra a gripe Influenza A, transmitida pelo vírus H1N1, está prevista para ocorrer no período de 30 de abril a 20 de maio, mas Leila Flores acredita que o município deva receber já na próxima semana as doses de vacinas - que o Ministério da Saúde repassa à Secretaria de Estado de Saúde e esta, por sua vez, encaminha a cada município do estado. “Lá para quarta ou quinta-feira a gente acredita que vai começar a entrega da vacina”, adiantou. “Com certeza, no dia 18, ou antes disso, a gente já deve estar com essa vacina toda na rede municipal de saúde”.

Segundo Leila Flores, a meta é vacinar 312.810 pessoas. O maior número de doses, segundo a previsão, está destinado aos idosos: 131.517. “Vamos receber 150 mil doses agora, o que representa 50% do quantitativo a ser vacinado, e o restante ao longo da campanha”, disse ainda. 

O período oficial de vacinação é dedicado aos grupos prioritários, que incluem pessoas acima de 60 anos, crianças de seis meses a menos de 5 anos, gestantes, mulheres que deram bebês à luz recentemente (até 45 dias após o parto, chamadas de puérperas), profissionais de saúde, população indígena, população privada de liberdade, adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, e portadores de doenças crônicas, tais como hipertensão e diabetes - neste último caso, mediante prescrição médica e laudo de um profissional.  (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário