segunda-feira, 16 de maio de 2016

Ex-BBB teve relacionamento com menina de 13 anos

A delegada Daniela Andrade afirmou nesta segunda-feira (16) que as investigações apontaram que o ex-BBB Laércio de Moura, preso por suspeita de estupro de vulnerável e por fornecer bebida alcoólica para menores, manteve uma espécie de relacionamento com uma adolescente de 13 anos. A garota, de acordo com a delegada, agora tem 17 anos confirmou. "Essa vítima veio até a delegacia e confirmou o relato e as denúncias. Ela confirmou que se relacionou com ele quando ainda tinha 13 anos de idade, que ele forneceu bebida alcoólica para ela, que caracteriza outro crime", afirmou Andrade. O "relacionamento" teria durado três anos, e a investigação contou com diligências no interior do estado. O G1 tenta contato com o advogado de Laércio.

Os dois se conheceram em um evento público em Curitiba e, conforme as investigação, o ex-BBB começou a mandar mensagens para a garota. A família da adolescente não tinha conhecimento do que ocorria até o momento em que a polícia chegou até a vítima.
Segundo a delegada, que pertence ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), a partir do momento que Laércio apareceu no reality show, surgiram diversas denúncias contra ele. A investigação foi solicitada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Durante o programa, o ex-BBB afirmou que gostava de se relacionar com meninas mais novas. "Só aparecem novinhas mesmo, tipo 17, 18, 20", disse Moura em 21 de janeiro durante conversa com a ex-BBB Ana Paula. A fala, de acordo com a polícia, deu início à investigação.

"Tudo nasceu na própria conduta dele dentro do programa. Ainda que as pessoas não acompanhassem muito, isso foi muito explorado midiaticamente e todos sabiam que existia uma declaração pública dele dizendo que gostava de meninas. Isso despertou uma suspeita em todo mundo" disse a promotora Tarsila dos Santos Teixeira.

A prisão é preventiva, portanto, não há prazo para que o tatuador deixe a prisão. A polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa dele, em Curitiba. Quando foi dada voz de prisão, ele agiu como se não soubesse o que ocorria, segundo relato da promotora.
Conforme a delegada, foram apreendidos objetos eletrônicos, como computador, pen drive, HD externo e celulares, que passarão por perícia para que se apure eventual crime de pedofilia.

A Polícia Civil dará seguimento à investigação na tentativa de indentificar outras possíveis vítimas ou ocorrências de outros crimes. A delegada ressalta a importância dos pais acompanharem os relacionamentos dos filhos em redes sociais, em especial, dos adolescentes. (G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário