terça-feira, 7 de junho de 2016

Ciop completa 18 anos oferecendo moderno serviço em segurança pública

Coração da inteligência e informação na área de segurança pública no Estado, o Centro Integrado de Operações (Ciop) completa 18 anos de implantação. A programação comemorativa ocorre a partir desta terça-feira (7) e segue até o fim do mês, no Espaço São José Liberto, e inclui uma exposição, com entrada franca, que apresentará ao público como funciona o serviço, inaugurado em 29 de maio de 1998 e considerado hoje um dos mais modernos do país. A exposição “Ciop 18 anos” poderá ser vista no período de 7 a 14 deste mês, no São José Liberto, das 8h às 18h, de segunda-feira a sábado, e das 10h às 18h, aos domingos. Ainda na programação haverá uma solenidade no dia 28 de junho, às 9h30, no auditório do Polo Joalheiro.

O Ciop foi o primeiro centro integrado de segurança pública implantado no Brasil. Surgiu da necessidade de direcionar as ocorrências de urgência e emergência, na área de segurança pública, para uma única central de atendimento, pelo telefone 190. É um órgão do Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, diretamente subordinado à Secretaria Adjunta de Gestão Operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup).

Com a implantação do Ciop foi possível agilizar o atendimento à população e otimizar os recursos do sistema de segurança. Com a unificação dos sistemas, hoje o 190 atende as chamadas feitas para as polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito do Estado (Detran), Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) e o Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves.

Segundo o diretor do Ciop, tenente coronel PM Marcus Roberto Alves Miranda, o objetivo é proporcionar um atendimento rápido e eficaz ao cidadão na área de segurança pública. “Pelo telefone 190 ou por meio do videomonitoramento, estamos em contato com a população. O Ciop visa organizar o suporte necessário para o atendimento rápido e eficiente, além de facilitar o planejamento operacional e a coordenação das atividades específicas e conjuntas dos órgãos de segurança pública”, afirma.

Modernização – Com o passar dos anos, o Ciop foi se aprimorando e passou a fazer também, a partir de 2005, o serviço de videomonitoramento por câmeras de segurança em vias públicas. O atendimento pelo 190 está disponível em toda a Região Metropolitana de Belém (RMB). 

No interior do Pará o serviço é prestado pelos Núcleos Integrados de Operações (Niops) em Altamira, Castanhal, Capanema, Conceição do Araguaia, Marabá e Santarém, e pelos Centros de Atendimento e Despacho em Salinópolis, Parauapebas e Tailândia. Em 2015 foram criados mais dois centros, em Bragança e Santa Isabel do Pará, que estão em fase de implantação.

Na sala de operações do Ciop, que funciona diariamente 24 horas, ficam os atendentes, despachantes e os operadores de videomonitoramento, que observam as 188 câmeras de segurança pública na região metropolitana de Belém. Cabe ao centro acionar as viaturas para atendimento imediato, mas o tempo de chegada ao local depende de variáveis como local do evento, condições de tráfego e climáticas, dia da semana, horário e disponibilidade. Em média o atendimento a uma ocorrência é feito entre e 15 minutos.

Quando a ocorrência é identificada pela equipe do videomonitoramento, a informação do caso é encaminhada diretamente para o despachante, que registra a ocorrência no sistema e determina o envio oportuno de uma guarnição para o local solicitado. Em geral, o videomonitoramento ocorre durante 24 horas. Os locais monitorados foram definidos a partir de registros de ocorrência em conjunto com os órgãos que compõem o sistema de segurança.

As imagens pelo videomonitoramento, além de buscar flagrantes ou atitudes suspeitas, servem como complemento às operações do Ciop, pois a visualização rápida e eficiente por meio desse serviço permite que o deslocamento de guarnições e equipes seja feito estrategicamente e apenas em situações reais. 

As imagens geradas podem servir também para subsidiar processos e procedimentos investigatórios. Elas ficam armazenadas por um período de 30 dias e, em seguida, são substituídas por novas imagens. Além da RMB, o videomonitoramento é feito também no interior, com 99 câmeras distribuídas nos municípios de Castanhal (15), Capanema (cinco), Santarém (20), Salinópolis (nove) e Altamira (50). São 287 equipamentos do tipo no total cobrindo o Estado.

Continua alto o índice de ligações falsas para o Ciop. No ano passado, foram registrados mais de 1 milhão de trotes para o 190, isto é, cerca de 35% das chamadas recebidas pelo centro não eram verdadeiras, o que acarreta prejuízo para o serviço público e demora no atendimento de um caso real. Apesar de alto, esse índice caiu 7% em relação a 2014, sendo motivado principalmente a partir de campanhas de conscientização em escolas e meios de comunicação.

Principais ocorrências atendidas (janeiro a abril de 2016):
1 - Poluição sonora: 14.635
2 - Atitude suspeita: 8.756
3 - Roubo: 6.403
4 - Perturbação do sossego alheio: 5.589
5 - Ameaça: 5.131
6 - Ocorrências com veículo: 4.102
7 - Lesão corporal: 3.695
8 - Briga: 3.239
9 - Consumo de drogas: 2.679
10 - Levantamento em local de trânsito: 2.157
Atendimento e despacho (janeiro a abril de 2016):
Chamadas recebidas: 873.071
Ligações falsas: 232.676
Ocorrências geradas: 77.853
Outros (Informações, dúvidas, agradecimentos, engano, reiteração, ligação não completada): 425.000
Por Edenice Freire - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário