sexta-feira, 3 de junho de 2016

Empresas de pequeno porte impulsionam mercado de trabalho no Pará

Conforme estudo elaborado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), empresas de pequeno porte dão resultados animadores para o mercado de trabalho paraense. Dados analisados pela instituição revelam que empresas com até quatro funcionários geraram 1.161 novos vínculos empregatícios em abril deste ano. Do total de empregos formais gerados nas micro e pequenas empresas, o setor de serviços colaborou com 641 novos vínculos nesse período. Além disso, o setor de comércio registrou 255 novos postos de trabalho e a indústria da transformação fechou o mês com 101 novas contratações.

Para ler o informe técnico do Mercado de Trabalho na íntegra, clique aqui.
O presidente da Fapespa, Eduardo Costa, avalia que esses resultados complementam a influência da dinâmica do mercado de trabalho no que se refere à melhoria da renda da população no estado ao longo dos anos. “Conforme estudo sobre exclusão social no Pará, recentemente divulgado pela Fapespa, mais de 457 mil pessoas saíram da linha da pobreza no estado entre 2008 e 2014. Neste período, a população ocupada cresceu 6,5%, e a renda, seja da população formal ou informal, cresceu 13,40%. 

Contudo, foi no setor formal, com um incremento de 35,76% da população ocupada, que houve o maior aumento na renda, de 27,5%. Além disso, chama atenção o fato de que a maior parte desta mobilidade social, cerca de 70%, aconteceu no interior do estado, como resultado da dinâmica econômica decorrente de alguns investimentos que aconteceram nos últimos anos”, esclareceu Costa.

Na avaliação por município, Curionópolis, no sudeste paraense, alcançou o topo do ranking com o maior saldo positivo de empregos ao totalizar 398 contratações com carteira assinada, seguido por Vitória do Xingu, com 191 vínculos, e Parauapebas com 113, sendo a Construção Civil o setor propulsor na geração de emprego desses municípios.

Curionópolis obteve destaque com a construção de barragens e represas para geração de energia elétrica, contabilizando 380 vínculos. Já o município de Vitória do Xingu apresentou bom desempenho em função da demanda por mão de obra verificada na atividade de montagem de estruturas metálicas 160 vínculos empregatícios. Quanto a Parauapebas, a atividade de obras de instalações em construções, 114 novos postos de trabalho, foi a que criou maior número de vínculos empregatícios.
Por Helen Barata - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário