quarta-feira, 8 de junho de 2016

Governador tem série de audiências com ministros de Michel Temer, em Brasília

Relação mais transparente, projetos pendentes, obras inacabadas e recursos não repassados. O governador Simão Jatene iniciou nesta terça-feira, 7, em Brasília, uma série de encontros com ministros do presidente em exercício, Michel Temer, para resolver pendências entre a União e o Governo do Pará. No primeiro dia da agenda, Jatene foi aos ministérios de Minas e Energia, Cidades, Relações Exteriores e à Secretaria Executiva de Programas de Parcerias e Investimentos.

Das audiências, além do governador e dos ministros Fernando Coelho Filho, Bruno Araújo, José Serra e Moreira Franco, participaram o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA); o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki; o secretário extraordinário de Governo e Relações Institucionais, Helenilson Pontes; o chefe da Representação do Governo do Pará no Distrito Federal, Ophir Cavalcante Júnior; o presidente da Cosanpa, Luciano Dias; e a secretária de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, Noêmia Jacob.

No Ministério das Minas e Energia, a conversa girou em torno dos potenciais hidrelétrico e mineral do Estado e da compensação financeira pela exploração dessas riquezas. O governador disse ao ministro que é preciso rediscutir as normas da exploração e rever os critérios de compensação. 

Atento às palavras do governador, o ministro Fernando Coelho reconheceu que a relação do governo federal com alguns entes federativos nos últimos governos tem sido marcada por desigualdades e designou técnicos para tratar do problema.
No Ministério das Cidades, o governador Simão Jatene tratou de projetos nas áreas de saneamento e habitação. Queixou-se de projetos emperrados – alguns até beirando o abandono – e pediu que fossem reavaliados. 

Um dos casos é o Projeto Alvorada, iniciado em 2001 e que previa mais de 100 obras de saneamento básico para 58 municípios carentes do Pará – selecionados a partir do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) –, com orçamento de R$ 138 milhões da União. Em 2006, a Funasa, alegando discrepância entre valores liberados e a execução das obras, paralisou o repasse das verbas.

O ministro Bruno Araújo disse ao governador que está fazendo um levantamento completo da situação para resolvê-la. Ao ministro, o governador mostrou o projeto Cheque Moradia, desenvolvido pelo Governo do Pará e que ajuda a população na construção e melhoria de suas casas, causando boa impressão.

Com o ministro Moreira Franco, da Secretaria Executiva de Programas de Parcerias e Investimentos (PPI), Jatene tratou do projeto de construção de uma ferrovia genuinamente paraense, ligando o sul do Estado até o Porto de Vila do Conde, em Barcarena. Para o ministro, o principal esforço deve ser a busca por novos empreendimentos, como forma de restabelecer a confiança nos investimentos. 

“Não podemos ter restrições de natureza ideológica e vamos analisar conjuntamente, colocando as equipes técnicas do Ministério e do Governo para trabalhar de forma coesa, analisando tecnicamente o projeto e a melhor forma de viabilizá-lo”, destacou Moreira Franco.

O último encontro da agenda de terça-feira foi com o ministro das Relações Exteriores, José Serra. Além da apresentação do projeto da ferrovia, o governador Simão Jatene destacou diversas iniciativas que o Estado vem realizando com organismos internacionais, como a ONU, OIT, Unicef, entre outros. 

“Estamos nos aproximando desses organismos pois é certo que a Amazônia atrai a atenção mundial e somente se nos determinarmos a não aceitar a ideia de ir a reboque, mas sim ajudar a construir um novo tempo, trocando e buscando experiências, poderemos de fato avançar para combater nossos maiores adversários, que são a pobreza e a desigualdade. Esses organismos têm em sua gênese o mesmo ideal, que é garantir um mundo mais justo e nesse sentido podemos unir esforços”, apontou Jatene. Nesta quarta-feira (8), novas audiências estão agendadas em Brasília, além de reuniões de trabalho com técnicos das áreas em debate. 
Por Pascoal Gemaque - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário