quarta-feira, 13 de julho de 2016

Com um a menos, Paysandu arranca outro empate fora de casa

Com um a menos e altas doses de apreensão, o Paysandu manteve sua sina na Série B e arrancou o seu quinto empate consecutivo no placar de 0 a 0. O adversário da noite de ontem terça-feira (12) foi o Paraná, que, além da vantagem numérica em campo, ainda teve o apoio do seu torcedor, no estádio Durival de Britto, em Curitiba (PR). O empate ainda representou ao Bicola de Gilmar Dal Pozzo o ingresso no quadro dos 20 clubes que ficaram mais jogos sem sofrer gols em toda a história do campeonato brasileiro. Por outro lado, alcançou a escrita de 15 partidas sem gols de atacantes.

Na tabela de classificação da Segundona, o ponto único somado hoje fez o Paysandu subir duas posições, saindo da 15ª para a 13ª colocação, com 20 pontos. Já o Paraná se manteve em quinto lugar, tendo, agora, 25 pontos ganhos. Vale destacar que esta 16ª rodada da competição seguirá até este sábado. Outros oito jogos ainda acontecerão até lá e tais posições do Bicola e do Rubro-anil devem mudar.

Papão e Paraná só voltarão a jogar pela competição na outra semana. Os paranistas visitarão o Criciúma (SC), às 19h15, do dia 22 deste mês, em uma sexta-feira, no estádio Heriberto Hülse. O Paysandu voltará a Belém para receber, no dia seguinte, o CRB (AL), às 16h, no Mangueirão, em Belém, com transmissão lance a lance pelo ORM News.

1º tempo: equilíbrio e entrega dos dois times - Paysandu e Paraná entraram em campo com propostas de um jogo em velocidade, com uso contínuo das pontas. Deu certo, apesar do gramado escorregadio por conta de um temporal que antecedeu a partida. Mas o Papão começou melhor e conseguiu criar a primeira boa chance de gol. No lance, Maílson recebeu de Lucas na esquerda e, da intermediária, mandou um chute forte. O goleiro Marcos saiu para tentar defender e a bola passou rente à trave direita, aos 11 minutos.

Os donos da casa conseguiram responder seis minutos depois, quando uma bola na área foi afastada pela zaga bicolor e sobrou no pé de Murilo Rangel. O camisa 7 bateu forte no cantinho de Emerson, que se esticou todo para espalmar pela linha de fundo.

O jogo seguia em alta intensidade. Foi após uma sequência de desarmes que Jhonnatan arrancou com a bola pela direita e encontrou a chegada de Tiago Luís, sozinho na área. O volante cruzou na cabeça do novo camisa 10 do Papão, que mandou a redonda pela linha de fundo, aos 26. 

Três minutos depois, Róbson conseguiu um lance parecido com o de Jhonnatan e cruzou para Lúcio Flávio, que bateu de esquerda na entrada da pequena área. Fernando Lombardi se jogou de carrinho e travou o arremate.

Já aos 47 minutos, Jhonnatan voltou aparecer no corredor canhoto e deixou a bola para Maílson, que saiu da marcação e chutou forte. O goleiro Marcos foi na bola e a espalmou pela linha de fundo.

2º tempo: Augusto Recife é expulso e Paysandu se segura - O Paraná voltou com mais ímpeto para o segundo tempo e, logo aos 14 minutos, produziu a primeira grande oportunidade. No lance, Diego Tavares recebeu no corredor direito e cruzou na medida para Válber. O camisa 10 testou dentro da área e viu Emerson, no reflexo, espalmar pela linha de fundo.

O Paysandu equilibrou as ações, mas, aos 24 minutos, presenciou a expulsão infantil de seu capitão. Augusto Recife, de 32 anos, já tinha um cartão amarelo quando perdeu a bola ao tentar driblar na intermediária de ataque e resolveu puxar a camisa de Murilo Rangel. O árbitro Luiz César de Oliveira Magalhães não titubeou e o expulsou. Logo em seguida, Marcelo Martelotte colocou o centroavante Robert no Paraná, enquanto que Dal Pozzo lançou o zagueiro Gualberto no Papão.

A equipe paranista se lançou totalmente ao ataque e acabou deixando espaços na defesa. Aos 30, Rafael Costa cobrou falta na cabeça de Gualberto, que escorou para Glvan. O camisa 4 do Bicola tentou finalizar e o goleiro Marcos salvou o que poderia ter sido o gol do Paysandu.

Cinco minutos depois, porém, foi a vez de Emerson volta a sujar o uniforme. Isto porque o garoto Henrique, de 20 anos, recebeu a bola dentro da área paraense, girou e chutou no ângulo. O 'São' Emerson mostrou elasticidade e espalmou pela linha de fundo. 
Mergulhado em uma pressão absoluta dos donos da casa, o Papão se retraiu e ainda foi surpreendido em outras duas oportunidades. 

Aos 41, Robson arriscou de fora da área e jogou a bola muito perto do ângulo esquerdo de Emerson, que só observou. Mas, aos 47, a tensão foi ainda maior. Henrique dominou na ponta direita e cruzou à meia altura para Robert, que estava sozinho, na pequena área. O experiente atacante, ex-Palmeiras, tentou completar para a rede, só que não acertou a redonda e protagonizou um lance bizarro.

Ficha técnica (Paraná 0 x 0 Paysandu)

Paraná - Marcos; Diego Tavares, Leandro Silva, Alisson e Rafael Carioca; Basso, Murilo Rangel, Válber (Henrique) e Nadson (Robert); Róbson e Lúcio Flávio. Técnico: Marcelo Martelotte 

Paysandu - Emerson; Edson Ratinho, Fernando Lombardi, Gilvan e Lucas; Ricardo Capanema (Domingues), Augusto Recife, Jhonnatan e Tiago Luís (Gualberto); Maílson e Alexandro (Rafael Costa). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Cartões amarelos: Nadson e Lúcio Flávio (Paraná); Gilvan, Lucas, Augusto Recife e Maílson (Paysandu)
Cartão vermelho: Augusto Recife (Paysandu)
Local: Durival de Britto (Curitiba/PR)
Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães - CE (CBF-1)
Auxiliares: Arnaldo Rodrigues de Souza- CE (CBF-1) e Armando Lopes de Sousa - CE (CBF-2)
Público: 3.148 (2.303 pag. e 845 cred.)
Renda: R$ 42.865,00
ORM News

Nenhum comentário:

Postar um comentário