sábado, 9 de julho de 2016

Farol baixo de dia já é lei nas rodovias de todo País

Muitos motoristas foram pegos de surpresa com a obrigatoriedade do uso do farol baixo, durante o dia, nas rodovias do País, que começou a valer ontem sexta-feira. Apesar da ampla divulgação a respeito da lei, vários deles continuaram transitando com as luzes desligadas ou usando os faróis incorretamente, na Rodovia BR-316, durante o dia de ontem. Alguns acabaram confundindo a lanterna do veículo ou a luz de neblina com a luz baixa, que não são aceitas, segundo a lei.

O motorista que descumprir a norma será penalizado por infração média: perderá 4 pontos na Carteira de Habilitação e sofrerá multa de R$ 85,13, valor que em novembro será elevado para R$ 130,16. Ainda assim, o eletricista Raimundo Silva, de 39 anos, que viajava para Salinas, alegou desinformação. Ele afirmou que não tomou ciência do vigor da lei anteriormente e por isso permaneceu com as luzes do carro apagadas na viagem. “Eu só ligo no fim da tarde, começo da noite, que eu sabia que era o correto”, argumentou. “Agora que estou sabendo que é preciso usar o farol baixo também de dia, é uma novidade para mim”.

Não foi o que aconteceu com o técnico em telecomunicações Geovani Teixeira, de 39 anos, que trafegava com as luzes baixas devidamente acesas rumo a Bragança, na manhã de ontem. “Eu vi várias vezes na televisão, nos jornais, que ia valer a partir desta sexta-feira a exigência do uso da luz baixa”, disse ele. “Acredito que alegar desconhecimento da norma é desculpa esfarrapada. Nós fomos orientados com antecedência. Acontece que muitos não querem obedecer”.

Sancionada em 24 de maio deste ano, a nova regra tem como objetivo reduzir o número de colisões frontais. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), estudos mostram que as luzes reduzem entre 5% e 10% o número de colisões entre veículos durante o dia. A maioria das colisões frontais é causada porque o motorista não percebe a presença do outro veículo a tempo de reagir e assim evitar o acidente ou porque julga erroneamente a distância e a velocidade do veículo que trafega na direção contrária, em casos de ultrapassagem.

Desde 1998 o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) recomendava apenas que as luzes baixas do carro fossem acesas na estrada, independente da condição de luminosidade.
 “As cores e as formas dos veículos modernos contribuem para mascará-los no meio ambiente, dificultando a sua visualização a uma distância efetivamente segura para qualquer ação preventiva, mesmo em condições de boa luminosidade”, diz a resolução do órgão. “O sistema de iluminação é um elemento integrante da segurança ativa dos veículos”. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o uso das luzes durante o dia servirá para aumentar a segurança no trânsito, uma vez que conferem maior visibilidade para o veículo. A inspetora da PRF, Marisol Teixeira, explicou que a exigência vem auxiliar o condutor a evitar acidentes. “Mais do que o valor da multa, o motorista deve se ater ao valor da vida, que é só uma. 

O uso do farol baixo é uma ferramenta que vem proteger motoristas e pedestres. A prioridade é se manter vivo”, destacou. A inspetora esclareceu também que não adiantará, durante as abordagens, alegar falta de informação e desconhecimento da norma para justificar o descumprimento da legislação. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário