terça-feira, 5 de julho de 2016

Governador recebe certificado ONA 3 do Hospital Regional de Altamira

Representantes da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, que gerencia seis hospitais públicos estaduais, entregaram ao governador Simão Jatene os certificados da Organização Nacional de Acreditação (ONA) que comprovam a excelência dos serviços prestados pelo Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, e a segurança do paciente, concedido ao Hospital Público Estadual Galileu, em Belém. A entrega ocorreu no início da tarde, no Palácio do Governo. O Hospital Regional de Altamira é o segundo do interior do Pará na região Norte – o primeiro foi o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém – a receber a Acreditação Nível III, o maior reconhecimento da ONA, que avalia a qualidade e segurança dos serviços prestados à população.

O diretor operacional da Pro-Saúde, Paulo Czrnhak, disse que o projeto é conseguir a certificação em todos os hospitais que estão sob a gerência da instituição. Já se trabalha para que os hospitais que já têm a Acreditação máxima brasileira obtenham a certificação internacional da Joint Commission International.

“A analise internacional é mais rigorosa, avalia detalhes minuciosos que passam, por exemplo, até pelo muro que cerca a área hospitalar. Estamos felizes com o reconhecimento da prestação de serviços, mas vamos buscar conquistar todas as certificações possíveis que garantam a qualidade dos serviços prestados à população”, reiterou Czrnhak, para quem a nova forma de atuação do hospital em busca das certificações também contribui para uma nova educação na prestação de serviços públicos no Pará.

O processo de qualidade nas unidades garante que o serviço hospitalar assista o usuário dentro de suas necessidades de saúde para satisfazê-lo plenamente. Para isso, requer processos definidos, cultura corporativa, maior envolvimento dos profissionais, segurança na assistência prestada, melhoria contínua e equipe motivada. Ao estabelecer esses pilares, a instituição pode buscar a acreditação e, assim, demonstrar que é possível fazer saúde pública com excelência.

Simão Jatene destacou que a melhor experiência na área da saúde foi o compartilhamento da gestão pelas organizações sociais, que proporcionaram um salto na qualidade do serviço público de saúde. “Nosso grande desejo era implantar serviços de média e alta complexidade no interior do Estado. Se pensarmos bem, dez anos é pouco tempo para alcançar o nível de atendimento que temos hoje”, avaliou.

Qualificação – Além de oferecer serviços públicos de qualidade, a parceria do Governo do Pará com a Pró-Saúde também pretende se firmar na contribuição para a melhoria da qualidade dos gastos públicos na área, para isso está sendo planejada a implantação de um curso de MBA em Gestão de Saúde no Pará, voltado para gestores públicos. 

A instituição social vai custear os gastos com professores, enquanto a Universidade Estadual do Pará (Uepa) entrará com o espaço físico para as aulas e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com a logística necessária para a execução do curso.

A diretora jurídica e membro do Conselho Deliberativo da Pró-Saúde, Wanessa Portugal, informou que o diferencial do curso será a possibilidade de os alunos trabalharem com situações reais enfrentadas pelos hospitais no Pará. “Esse curso já é ofertado por uma instituição de ensino no Brasil, com o total de 360 horas de aulas. 

O nosso além de ter o mesmo tempo de teoria também vai oferecer mais 360 horas de aula prática, com demandas reais, ensinando de fato como o gestor deve proceder em situações como essa”, garantiu. Ela acredita que as boas práticas vivenciadas no Pará poderão nortear a melhoria na administração pública na área.

O projeto está em fase de finalização e deve ser apresentado no fim de agosto deste ano. Também estiveram presentes na reunião o senador Flexa Ribeiro; o titular da Sespa, Vitor Mateus; a secretária adjunta de Gestão Administrativa da Sespa, Heloísa Guimarães; e Maria do Céu, do Departamento de Saúde Integrada da Sespa.
Por Dani Filgueiras - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário