domingo, 24 de julho de 2016

Marcas são quebradas e Papão empata com o CRB em Belém

A noite foi de queda de escritas de setores específicos para o Paysandu. Mas o confronto contra o CRB, pela 17ª rodada da Série B do campeonato brasileiro, ficará mesmo marcado pelo alívio. O Papão chegou a estar perdendo por 2 a 0 até a metade do segundo tempo, mas conseguiu chegar ao empate. A  primeira marca quebrada no Paysandu, na noite de ontem sábado (23), foi do goleiro Emerson, que voltou a sofrer gols após 1.109 minutos de invencibilidade. Aliás, o Papão sofreu dois gols, sendo um de Olívio e outro de Neto Baiano. Mas, o atacante Leandro Cearense assumiu a responsabilidade de cobrar o pênalti e conseguiu quebrar o jejum de gols que o setor de ataque do Bicola vivia a 17 partidas. No final, Domingues arrancou o empate para o Time de Suísso.

 Saiba como foi a partida lance a lance!
O empate em 2 a 2 com o CRB foi o suficiente para fazer o Paysandu subir duas posições na tabela de classificação da Segundona, saindo para a 14ª posição, com 21 pontos. Ao CRB, a igualdade assegurou a permanência no G4 da competição, mas na terceira posição, depois de ter ocupado a vice-liderança. 

O time de Gilmar Dal Pozzo já voltará a jogar nesta quarta-feira (27), às 19h30, na Curuzu, em Belém, contra o Juventude, pela decisão da terceira fase da Copa do Brasil. Pela Série B, o PSC tem compromisso marcado contra o Vila Nova (GO), às 16h do próximo sábado (30), também no estádio Leônidas Castro. Já o CRB só jogará novamente na sexta-feira (29), às 19h15, contra o Brasil de Pelotas (RS), em Maceió.

1º tempo: CRB derruba invencibilidade de Emerson no Paysandu - Melhor postado em campo, o CRB conseguiu impedir o 'abafa' que o Paysandu vinha conseguindo realizar nos minutos iniciais das partidas na Curuzu. O jogo, portanto, começou em ritmo lento e só teve sua primeira chance de gol quando Rafael Costa resolveu arriscar um chute de fora da área, aos 18. Ele soltou uma pancada no cantinho e o goleiro Julio Cesar mostrou elasticidade para espalmar pela linha de fundo.

O Paysandu ficava com a bola, mas sem objetividade. Por outro lado, o time alagoano crescia de produção no quesito ofensivo. Aos 26 minutos, Gerson Magrão cobrou o escanteio da esquerda e Diego Jussani saltou sem marcação para cabecear. A bola passou muito perto do ângulo do goleiro Emerson, que só observou.

Dois minutos depois, porém, o camisa 01 do Papão viu sua marca pessoal acabar quando Olívio dominou a sobra da zaga na frente da área e acertou uma pancada no cantinho. Foi o primeiro gol do jogo para o CRB e a queda da invencibilidade de Emerson. Foram 1.109 minutos intransponíveis.

O gol deixou os bicolores desestabilizados e pareceu ter afetado mais justamente o goleiro. Aos 33 minutos, o goleiro do Paysandu tentou recolocar a bola em jogo rapidamente e foi impedido - no primeiro momento - pelo atacante Zé Carlos, que se posicionou na frente de onde seria o chute. Após três tentativas, Emerson resolveu chutar a bola e acertou as costas do camisa 9 do CRB. 

A redonda foi parar dentro do gol e a polêmica foi formada. O árbitro da FIFA, Sandro Meira Ricci - representante brasileiro nas arbitragens da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas deste ano - mostrou indecisão, conversou com os auxiliares e marcou a infração do jogador do CRB. A equipe alagoana ficou na bronca, enquanto os bicolores sentiram alívio.

Aos 36 minutos, o Paysandu chegou muito perto do empate. No lance, João Lucas cruzou da esquerda na cabeça de Rafael Costa, que desviou muito levemente na bola e a mandou pela linha de fundo, sem exigir nada do goleiro Julio César. 

O arqueiro do Galo só foi trabalhar - e como! - aos 41, quando o cruzamento de Edson Ratinho encontrou a testa do zagueiro Fernando Lombardi. O cabeceio foi forte e no chão, mas o goleiro do CRB encaixou com segurança. Antes do intervalo, Rafael Costa ainda voltou a arriscar de fora da área em uma cobrança de falta, mas Julio Cesar voltou a encaixar no canto.

2º tempo: CRB amplia, mas Paysandu busca o empate - A ineficácia do estilo de jogo lançado no primeiro tempo fez com que Gilmar Dal Pozzo mudasse a estratégia para a segunda etapa. Ruan foi colocado no lugar de Rafael Costa para abrir as jogadas pelas pontas. Aos cinco minutos, Edson Ratinho aproveitou o corredor direito para colocar a bola na área. Tiago Luís escorou e Domingues chutou de primeira. 

A bola foi no travessão! Três minutos depois, Ruan recebeu e lançou Edsson Ratinho, que cruzou novamente. Leandro Cearense cabeceou muito perto do ângulo direito do CRB, mas pela linha de fundo.

O CRB rearrumou a marcação nas laterais e chegou a assustar aos 20 minutos, quando Rogér Gaúcho recebeu na ponta, partiu em velocidade, saiu da marcação e chutou forte. A finalização saiu muito perto da meta de Emerson, que só observou. No minuto seguinte, o CRB conseguiu ampliar em outra jogada pela direita, com Roger Gaúcho. Ele cruzou rasteiro e Neto Baiano colocou para a rede.

O time de Mazola Junior passou a dominar a partida totalmente diante de um Paysandu visivelmente fragilizado por ter sofrido dois gols dentro de casa após ter ficado 11 partidas sem sofrer qualquer gol. Aos 24 minutos, Welinton Junior recebeu o lançamento em velocidade e livre de marcação. Ele foi em direção ao gol do Papão, mas Emerson foi mais esperto e saiu como um zagueiro, retomando a bola de carrinho. O lance seguiu e Diego recebeu na esquerda. O lateral levantou na área e Neto Baiano cabeceou para a belíssima defesa de Emerson. 

Aos 34 minutos, uma saída de bola errada do Papão ficou no pé de Neto Baiano, que lançou Welinton Junior de primeira. O atacante ex-Paysandu tentou surpreender e arriscou um gol por cobertura em Emerson, que já estava fora da sua grande área. O chute foi mal executado e a bola nem chegou a sair pela linha de fundo.

No minuto seguinte, o Paysandu saiu para o ataque pela direita. Celsinho foi acionado dentro da área, tirou do alcance de Matheus Galdezani e foi derrubado. Pênalti marcado! Leandro Cearense pediu a bola. Ele assumia naquele momento a responsabilidade de tentar acabar com o jejum de 17 jogos dos atacantes da equipe sem marcar gols. Ele foi para a cobrança e cumpriu a missão, diminuindo o placar na Curuzu.

Em um lance isolado, Welinton Junior e Gilvan se desentenderam no gramado da Curuzu. O árbitro expulsou os dois jogadores e a partida ficou resumida ao ataque na base do abafa do Paysandu, que quase empatou a partida aos 45 minutos. Edson Ratinho cruzou novamente e Leandro Cearense cabeceou com estilo para a defesa ainda mais estilosa do goleiro Julio César, que mandou pela linha de fundo. 

Aos 46 minutos, João Lucas acionou Celsinho, que colocou na área. A zaga afastou mal e Domingues dominou a sobra na marca do pênalti. Ele ficou diante de três marcadores e soltou uma pancada para empatar o jogo em Belém.

 Ficha técnica (Paysandu 2 x 2 CRB)
Paysandu - Emerson; Edson Ratinho, Fernando Lombardi, Gilvan e João Lucas; Domingues, Ricardo Capanema (Jhonnatan), Rafael Costa (Ruan) e Tiago Luís (Celsinho); Fabinho Alves e Leandro Cearense. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

CRB - Julio Cesar; Marcos, Flávio, Diego Jussani e Diego; Olívio, Matheus Galdezani, Luidy (Welinton Junior) e Gerson Magrão; Roger Gaúcho (Assisinho) e Zé Carlos (Neto Baiano). Técnico: Mazola Júnior

Gols: Olívio 28'/1ºT (CRB), Neto Baiano 21/2ºT (CRB), Leandro Cearense 36'/2ºT (Paysandu) e Domingues 46'/2ºT (Paysandu)
Cartões amarelos: Fernando Lombardi (Paysandu); Luidy (CRB)
Cartões vermelhos: Gilvan (Paysandu); Welinton Junior (CRB)
Local: Curuzu (Belém/PA)
Data: 23/07/2016
Hora: 21h
Árbitro: Sandro Meira Ricci - SC (FIFA)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho - SP (FIFA) e Marcelo Carvalho Van Gasse - SP (FIFA)
Público: 8.898 (4.496 pag., 1.622 cred. e 2.780 sócios)
Renda: R$ 96.910,00
ORM News

Nenhum comentário:

Postar um comentário