segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Hemopa comemora 38 anos com segurança e qualidade nos serviços oferecidos

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) celebra seus 38 anos nesta terça-feira, 2. Para comemorar a data, a diretoria agradece aos voluntários que, por ano, chegam a 100 mil doadores de sangue. Com excelência de gestão reconhecida nacional e internacionalmente, em 2014, pela Associação Brasileira de Hematologiada Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) e pela Associação Americana de Bancos de Sangue (AABS), a direção do hemocentro investe na capacitação do quadro de servidores para assegurar cada vez mais a qualidade do produto utilizado na transfusão de sangue.

A presidente do hemocentro paraense, Ana Suely Leite Saraiva, destaca a adoção de padrão de codificação internacional de bolsas de coleta, amostras de sangue e hemocomponentes, o que reduz ainda mais o risco de falhas nos processos de identificação e rastreabilidade do sangue, assim como o fortalecimento das ações de hemovigilância em conjunto com as Vigilâncias Sanitária e Epidemiológica Estaduais e Municipais.

Fundada, inicialmente, para prover um sangue de qualidade à população de Belém, hoje, além de coordenador da Política Estadual do Sangue, o Hemopa tem suas ações capilarizadas em todo o Estado do Pará por meio de uma Rede de Unidades, denominada de hemorrede estadual, que promove o acesso universal, descentralizado e regionalizado aos cidadãos.

O coordenador de Hemoterapia, Carlos Victor Cunha, ressalta a importância contínua da realização de campanhas de conscientização da população, como forma de minimizar riscos tanto para a saúde do doador quanto para a do receptor.

Atendimento - Muitos avanços foram alcançados com a utilização de tecnologias de ponta com o objetivo de elevar cada vez mais a segurança transfusional. O médico Carlos Victor Cunha destaca a renovação de maquinário para a realização de exames laboratoriais e para o processamento do sangue em seus componentes, visando a manutenção do alto padrão de qualidade dos produtos fornecidos pela Fundação, sempre primando pela inovação e qualidade.

E nesse aspecto, o coordenador de Laboratórios, Maurício Koury Palmeira, ressalta que desde 2012, o hemocentro executa o Teste do Ácido Nucleico (NAT) no sangue de todos os doadores do estado do Pará e do Amapá. Este teste identifica o material genético do vírus do HIV, das Hepatites B e C, garantindo maior segurança transfusional. “Anteriormente uma janela imunológica para detecção do HIV e da Hepatite C, era em torno de 30 dias, e hoje conseguimos encurtar essa janela para 11 dias, garantindo um sangue mais seguro, uma triagem mais rigorosa e eficiente das bolsas que são coletadas e disponibilizadas para transfusão”, explicou.

Essas melhorias somam-se aos benefícios proporcionados aos pacientes atendidos em nível ambulatorial na Fundação Hemopa, entre eles, os avanços no tratamento de pessoas com Hemofilia e Hemoglobinopatias. “Nosso maior compromisso é salvar vidas. E para que isso aconteça é preciso o comprometimento de cada servidor da hemorrede. Só tenho a agradecer a todos que fizeram e fazem parte dessa história de solidariedade e esperança de vida que nosso trabalho produz. Feliz aniversário para todos nós”, completou.

Números - Hoje a hemorrede paraense é composta pelo Hemocentro Coordenador e a Unidade de Coleta Castanheira, ambos em Belém, três Hemocentros Regionais (Marabá, Santarém e Castanhal), cinco Hemonúcleos (Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema) e 41 Agências Transfusionais (AT´s) na capital e interior do Estado, que garante a distribuição do produto com segurança e qualidade para milhares de pacientes internados na rede hospitalar.

Em 2015, a hemorrede estadual registrou 126.320 comparecimentos, que corresponderam a 102.163 coletas, resultando em 109.860 unidades de hemocomponentes distribuídos, que ajudaram a salvar aproximadamente 439.440 pacientes, no Pará. De janeiro a junho deste ano, em Belém, houve o comparecimento de 43.807 voluntários na sede do hemocentro e na Unidade de Coleta Castanheira. Desse total, 34.044 doações foram efetivadas.

Atualmente, a população doadora de sangue no Brasil é de 1.9%. Na Região Norte é de 1.5%. No Pará passou de 1.7% para 2.2%, superando a média nacional, mas que precisa melhorar ainda mais e atender a sugestão da Organização Mundial de Saúde (OMS) e ficar entre 3% e 5%.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original com foto e assinatura. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 as 18h, e aos sábados de 7h30 as 17h. Maiores informações pelo fone: 0800-2808118, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Por Vera Rojas - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário