quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Impeachment de Dilma é aprovado no Senado

Os senadores aprovaram a cassação da presidente Dilma Rousseff em votação final do impeachment no plenário do Senado nesta quarta-feira (31). Com isso, Dilma está definitivamente afastada da Presidência da República, e assume o interino Michel Temer. O placar foi de 61 votos pela cassação e 20 votos contra. Não houve abstenções. Eram necessários os votos de ao menos 54 dos 81 senadores -- dois terços.

A maioria considerou que Dilma é culpada de ter cometido crime de responsabilidade pelo atraso no repasse de recursos do Tesouro do Banco do Brasil no âmbito do Plano Safra e pela edição de decretos de crédito suplementar sem autorização do Legislativo. 

Em segunda votação, entretanto, os senadores decidiram que Dilma não ficará inelegível de cargos públicos por 8 anos. 42 senadores se posicionaram favoravelmente à inabilitação para funções públicas e 36 contrariamente. 3 senadores se abstiveram. Para que ela ficasse impedida de exercer cargos públicos, eram necessários 54 votos favoráveis.

As votações foram abertas e feitas pelo painel eletrônico, sem chamada nominal dos senadores.
A fase final do processo de impeachment iniciou-se na última quinta-feira (25), conduzida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. Durante dois dias foram ouvidos os depoimento das testemunhas. Na segunda (29), Dilma foi pessoalmente ao Senado apresentar sua própria defesa. Na terça (30), acusação e defesa fizeram suas alegações finais e os senadores discursaram até a madrugada desta quarta (31). 

Com o impeachment de Dilma Rousseff, o presidente interino Michel Temer assume às 16h o cargo definitivamente. A cerimônia ocorrerá no Senado, conforme anunciou o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). (msn/Notícias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário