segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Mais de 100 mil candidatos fazem provas do concurso da PM

Cerca de 105 mil candidatos fizeram provas do concurso da Polícia Militar do Pará ontem domingo (31). Os candidatos concorreram a 2.194 vagas para os cursos de formação de praças e formação de oficiais. As provas foram realizadas em Belém, Marabá, Santarém e Altamira. Doze tentativas de fraude foram registradas, mas de acordo com a PM não comprometeram a lisura do concurso.

As tentativas de fraude foram registradas em Altamira, Marabá e Belém. Em Altamira um homem tentou fazer prova no lugar de um candidato que concorria a uma vaga no curso de formação de praças. Ele foi levado à delegacia de Polícia Civil para autuação por falsidade ideológica.

Em Marabá, sudeste paraense, quatro pessoas foram detidas por suspeita de tentarem fazer a prova de passando por outros candidatos. Na capital Belém foram presas sete pessoas, sendo cinco pela Polícia Civil e duas pela Polícia Federal. A PF chegou aos dois depois de receber a informação na semana passada de que cinco pessoas estariam envolvidas em tentativas de fraude ao concurso portando gabaritos com possíveis resultados das provas. 

Ontem onze pessoas foram presas em Abaetetuba durante a operação 'Cascata', que desarticulou uma quadrilha que também tentava fraudar o concurso. Entre os presos estão dois professores, que estavam inscritos no concurso. Eles fariam a prova, sairiam mais cedo e passariam o gabarito por meio de cola eletrônica a nove candidatos. 

Com o grupo foram apreendidos telefones celulares, pontos eletrônicos, aparelhos de recepção de sinais no formato de cartões de crédito e até manual com a tradução dos códigos que seriam usados pela quadrilha. Segundo o delegado-geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino, o simulacro de cartão de crédito receberia vibrações, cujas quantidades de impulsos designariam uma alternativa a ser marcada em cada questão da prova. A quadrilha era monitorada há dez dias. 

A Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), organizadora do concurso, informou que nos locais de provas os candidatos passaram por detector de metal na entrada e saída das salas, incluindo idas ao banheiro. A organizadora coletou ainda impressões digitais dos candidatos nos cartões de resposta.

Mulheres são maioria na disputa
As mulheres foram a maioria entre os candidatos ao curso de formação de praças. A elas foram destinadas 200 vagas com concorrência de 113,7 candidatas por vaga. Entre os homens a concorrência por uma vaga é menor, já que para eles foram destinadas 1.800 vagas. São 36,13 candidatos que brigam por cada posição na corporação.

Remuneração atrai candidatos
Uma vez aprovados os candidatos vão passar um ano no curso de formação de praças e oficiais da PM. Durante o período, o aluno soldado receberá a remuneração de R$ 788 e após a conclusão do curso passa a ganhar R$ 2.836,80. O aluno oficial receberá R$ 1.005,71 durante o curso. Na condição de aspirante a oficial, ele permanecerá com o mesmo vencimento. 

Durante e após a conclusão do curso de adaptação de oficiais, o oficial aluno da área da saúde receberá remuneração de R$ 5.781,31. Todos os cargos somam ainda auxílio-alimentação mensal no valor de R$ 650 - durante e após a conclusão do curso.
O último concurso realizado pela PM aconteceu em 2012, quando foram ofertadas 2.180 vagas disputadas por cerca de 50 mil inscritos. (ORM News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário