quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Pará ganhará mais uma indústria, a primeira de embalagens

Benevides, na Região Metropolitana de Belém (RMB), terá em breve mais 230 novos postos de trabalho. A empresa paraense Tintas Veloz, há 16 anos no município, decidiu ampliar sua atuação no mercado paraense e nesta quarta-feira, 10, celebrou um termo de compromisso com o Governo do Estado comprometendo-se com a criação de uma nova indústria para fabricação de embalagens, tornando-se assim a primeira do ramo em todo o Pará. O ato aconteceu durante a reunião mensal do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra), da Federação das Indústrias do Pará, na presença do secretário de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, e sua equipe; do presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), Olavo Neves; diretores da Fiepa e empresários de segmentos produtivos diversos.

O protocolo de intenções foi firmado pelo secretário Adnan Demachki e o diretor da empresa que vai implantar a indústria, Alexandre Renda. "O incentivo fiscal para um grupo inicial, sobretudo em seus primeiros anos de funcionamento, é essencial para sua sobrevida, sua viabilidade, dada a elevada carga tributária que se tem no País'', disse Alexandre Renda, no ato de assinatura do termo de compromisso junto ao Estado.

Consolidada no Norte e Nordeste na fabricação de tintas e solventes, a Veloz quer se especializar na produção de embalagens. De início, ela trabalhará com embalagens a partir do papelão, mas se compromete a diversificar os produtos com os mais variados materiais. A nova indústria abrirá 150 empregos diretos e cerca de outros 80 em contratos de terceirização.

Adnan Demachki anunciou que pela primeira vez o Estado lançou um programa de Recuperação Fiscal (Refis), não para arrecadar, mas para facilitar, de fato, à regularização dos empreendimentos inadimplentes com o fisco estadual, a fim de que eles se regularizem e voltem a produzir e gerar empregos.

O novo Refis, não mais como os anteriores, que dava cinco anos para pagamento, inovou ao aumentar para 15 anos o prazo de parcelamento do débito, com descontos de até 95% de juros e multas. O decreto 1.587, assinado pelo governador Simão Jatene, foi publicado no último dia 8, no Diário Oficial do Estado.

O novo Programa de Regularização Fiscal (Prorefis) é relacionado com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias (ICM), com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) e com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), decorrentes de fatos geradores ocorridos até 31 de dezembro do ano passado.

Demachki destacou que a intenção é facilitar a vida de quem tem a intenção de se regularizar junto ao fisco estadual. "Se você observar com cuidado o novo Refis, constatará que dado o aumento da quantidade de parcelas, de até 60 para até 180, e ainda o possível desconto de até 95% dos juros e multas decorrentes do processo de inadimplência, o Estado apresenta uma oportunidade de ouro para a empresa que quer se regularizar e seguir em frente, possibilitando que esteja em condições de tomar financiamentos e produzir gerando emprego e renda. E isso num momento tão delicado economicamente é um exemplo real da intenção do Governo de trabalhar em favor do desenvolvimento da economia paraense'', concluiu Demachki. 
Por Valéria Nascimento - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário