segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Dois são presos por fraude em concurso da Polícia Civil

 Duas pessoas foram presas por tentativa de fraude ao concurso da Polícia Civil, realizado ontem domingo (11) em Belém e mais três cidades do interior do Estado. Além das prisões, dois candidatos foram eliminados após terem sido flagrados com telefones celulares, o que é proibido pelo edital do certame. As prisões foram detalhadas em uma entrevista coletiva na tarde de ontem na Delegacia Geral de Polícia Civil, em Belém.

As prisões e as ocorrências com o porte de telefones celulares foram registradas em Belém. A organização classificou o concurso como um dos mais tranquilos realizados pelo Estado em 2016. A realização das provas do concurso para o Corpo de Bombeiros e Polícia Militar foi marcada pela prisão de acusados de fraude. 

Na última sexta-feira (9), seis pessoas foram presas por envolvimento com a fraude ao concurso da PM, realizado em julho. Segundo a polícia, as investigações apontaram que os suspeitos chegaram a cobrar cerca de R$ 10 mil do esquema criminoso para tentar fraudar o concurso.

No esquema abortado pela ação policial, um dos envolvidos faria a prova e, após deixar a local do concurso, iria repassar o gabarito da prova via ponto eletrônico a outros candidatos, mas o plano foi frustrado antes de ser colocado em prática. 

Provas em quatro cidades
Neste domingo cerca de 27 mil candidatos realizaram a prova do concurso para a Polícia Civil. Eles concorreram a 400 vagas para os cargos de escrivão, investigador e papiloscopista. O concurso organizado pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab), promoveu provas nas cidades de Belém, Marabá, Santarém e Altamira. 

As provas objetivas foram aplicadas, das 8h30 às 13h30, em 804 salas de 65 unidades de ensino das quatro cidades, com os portões abrindo às 7h10. Os candidatos acharam a prova razoável e nutrem esperanças de serem aprovados. No total de 42.159 se inscreveram para o concurso. As outras 14.508 pessoas restante farão provas para o cargo de delegado no próximo dia 25 deste mês.

Para todas as carreiras é necessário curso superior, com exigência de bacharelado em direito para delegado. As remunerações, atualizadas, são de R$ 5.204,05 para investigador, escrivão e papiloscopista; e de R$ 12.250,00 para delegado, com acréscimo de auxílio alimentação no valor de R$ 650,00 para todos os cargos. (ORM News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário