segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Multivacinação para crianças e adolescentes começa hoje

A Campanha Nacional de Multivacinação de 2016 começou hoje e se estenderá até o próximo dia 30. E o Ministério da Saúde anunciou o envio de 1,1 milhão de doses extras de vacinas para os postos de saúde do Estado do Pará. O objetivo da campanha é mobilizar os pais ou responsáveis a levarem seus filhos para atualizar o cartão de vacinação. Este ano, a ação será voltada para menores de cinco anos, para crianças de nove anos e adolescentes de 10 a 15 anos incompletos. Para isso, o Ministério da Saúde enviou 19,2 milhões de doses extras de 14 vacinas para os postos de saúde de todo o país.

No Pará, a maioria das doses é para a poliomielite, que esse ano teve alteração no esquema vacinal, que passou a ser de três doses da vacina injetável - VIP (2, 4 e 6 meses) - e mais duas doses de reforço com a vacina oral - VOP (gotinha). Até 2015, o esquema era de duas injetáveis (VIP) e três orais (VOP). Para o Estado, foram enviadas 133,6 mil doses VIP e 90,7 mil VOP. O principal lote individual, com 188 mil doses, é para a prevenção do HPV, que também teve mudança no calendário de vacinação. 

O esquema vacinal passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. “Neste ano, estamos incluindo os adolescentes porque esse grupo prioritário é um dos apresenta uma maior resistência a se vacinar. Além disso, muitos pais acreditam que não há necessidade de imunizar os filhos nesta faixa etária”, afirma o ministro da saúde, Ricardo Barros. 

Segundo ele, com a campanha serão atualizadas 14 vacinas nesses públicos. “Isso servirá para reduzir o número de não vacinados e aumentar a cobertura vacinal nas crianças e adolescentes”, completou. Barros disse ser fundamental que toda a população alvo compareça aos serviços de saúde levando a caderneta de vacinação, para que os profissionais de saúde possam avaliar se há doses que necessitam ser aplicadas.

De acordo com o Ministério da Saúde, os estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses. 

O reforço de vacinas meningocócica no Estado será de 123,2 mil doses. Anteriormente, a vacina era administrada aos 15 meses e passou esse ano a ser administrado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

Também serão 55,5 mil doses de vacina contra a pneumonia, que reduziu de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente. Passou a ser administrada em duas doses, aos 2 e 4 meses, com um reforço preferencialmente aos 12 meses, que pode ser recebido até os quatro anos. Essa recomendação também foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema três doses mais um reforço.

Nas doses encaminhadas ao Pará ainda constam 44,4 mil para o combate ao rotavírus; 100 mil tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba); 22,2 mil tetra viral (sarampo, rubéola, caxumba e catapora); 127,9 mil dupla adulto; 56,8 mil DTP (difteria, tétano e coqueluche); 106,5 mil de febre amarela; 28,4 mil de hepatite A; e 76,6 mil pentavalente.
Com a campanha de vacinação, o Ministério da Saúde espera reduzir as doenças imunopreveníveis e diminuir o abandono à vacinação. Como a vacinação será de forma seletiva para a população alvo, não há meta a ser alcançada.

As vacinas disponíveis no Pará são a pneumo 10, rotavírus, VIP, VOP, tetraviral, tríplice viral, dupla adulto, DTP, febre amarela, hepatite A, HPV, meningocócica C e pentavalente. (ORM News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário