sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Orgulho e reconhecimento marcam os 198 anos da Polícia Militar do Estado

A Polícia Militar do Estado do Pará comemorou, na manhã desta sexta-feira, 23, os seus 198 anos. A cerimônia no Comando Geral da Polícia Militar foi pontuada pelas promoções e outorga de medalhas em alusão à data, celebrada oficialmente no próximo domingo, dia 25 de setembro. Mais de 1,5 mil militares foram promovidos. Entre eles, 1.457 praças. Com isso, a PM, através do Governo do Estado, reafirma o compromisso de servir à sociedade paraense e também o de valorizar o servidor. “São 198 anos de glória, de muito trabalho e de amor à população paraense. 

Em 12 meses, o Governo do Estado mostrou o compromisso com sua tropa, ao promover 50% dela. Esse contingente está presente em 144 municípios, servindo e protegendo a população”, comemorou o coronel Roberto Campos, comandante geral da Polícia Militar.

Como uma forma de agradecimento e reconhecimento à valorização profissional, várias tropas da capital e do interior prestaram homenagens ao governador Simão Jatene, que destacou o compromisso da qualificação militar, apesar das dificuldades enfrentadas em tempos de crise no país. Cerca de 10 mil militares foram capacitados em cursos ou treinamentos entre 2015 e 2016. Hoje, a Polícia Militar do Estado do Pará conta com 16 mil homens e mulheres prontos e capacitados para servir à população.

Somente em 2015, foram promovidos 4.935 militares, dos quais 135 oficiais e mais de 4,9 mil praças. As promoções na Polícia Militar são feitas em duas datas: 21 de abril, dia de Tiradentes, patrono das Polícias Militares do Brasil; e por ocasião do 25 de setembro, aniversário da PM.

Em meio à cerimônia desta sexta-feira, o pequeno Lyan Luz, de apenas 2 anos, roubou a atenção. Fardado da cabeça aos pés, o garotinho é filho do policial Maxwell Luz, que serve à PM há 8 anos. Enquanto o pai recebia a promoção à cabo, o pequenino desfilava todo o seu orgulho pela profissão do pai. “Ele viu o desfile de 7 de setembro e ficou encantado. Pediu para o pai fazer a farda e desde que ficou pronta, não quis mais tirar. Eu estou muito feliz pela promoção do meu marido. 

Como mulher de um militar, sinto medo a cada vez que ele sai de casa, mas o orgulho supera tudo. Ser policial é você dar sua vida por outras pessoas que não têm seu sangue e isso é muito bonito”, disse Elaine Luz, mãe de Lyan e esposa do cabo recém promovido.

A história da também recém promovida capitã Joyce Louzada se confunde com a da própria Polícia Militar do Pará. Em 2011, ela escreveu seu nome como a da primeira mulher a comandar uma tropa de choque da PM. “No início, fiquei assustada porque eu não tinha nenhuma referência feminina e eu mesma passaria a ser essa referência. Hoje, me sinto muito orgulhosa de ter ajudado a escrever a história da Polícia Militar do Pará. Desde que a gente entra, é um caso de amor com a corporação e com a sociedade”, disse a capitã.

Homenagens - Durante o evento, 152 personalidades civis e militares receberam a Medalha da Ordem do Mérito Policial Militar Coronel Fontoura. Entre as personalidades agraciadas, estava o secretário de Comunicação do Estado, Daniel Nardin, que recebeu a medalha grau Cavaleiro. A homenagem, outorgada nos graus Comendador e Cavaleiro, premiou pessoas que prestaram notáveis serviços à PM.

Foram concedidas também medalhas de bons serviços prestados aos policiais militares para 30 anos de serviços (metal dourado), 20 anos (metal prateado) e dez anos (metal bronzeado).

No final da cerimônia, o governador Simão Jatene, junto com o comandante geral da PM, coronel Roberto Campos, e o secretário de Estado de Segurança Pública, General Jeannot Jansen, inaugurou o Memorial Coronel Orvácio Marreca. O coronel é considerado o precursor da memória da PM paraense por ter sido o autor dos livros “A Milícia Paraense e a sua heroica atuação na Guerra de Canudos”, escrito em 1937, e o “Histórico da Polícia Militar do Pará”, em 1939.

Mas o dia não foi só de emoção por parte dos policiais. Quem faz parte da população paraense e é beneficiado pela ação da corporação também teve a chance de agradecer pessoalmente ao governador do Estado. E quem teve esse privilégio foi Bruno Lins, que nasceu com paralisia cerebral.

Quando tinha 13 anos, Bruno chegou ao centro de equoterapia da Polícia Militar do Pará carregado pela mãe. Não sabia andar, balbuciava poucas palavras e tinha medo de tudo. Mas graças ao serviço de reabilitação motora e psicossocial, proporcionado pelos cavalos da PM através da equoterapia, Bruno, hoje com 35 anos, disputa três modalidades de atletismo paralímpico e coleciona mais de 100 medalhas. “Essas medalhas aqui não são minhas, são do Governo do Estado. Graças ao apoio do governador Simão Jatene e da  Polícia Militar com seu serviço de equoterapia, eu aprendi a andar e me tornar um vencedor”, disse, emocionado.
Por Syanne Neno - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário