quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Pará tem 2ª gasolina mais cara do Brasil, aponta Confaz

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) publicou ontem, no Diário Oficial da União (DOU), um ato com alterações na tabela de preço médio de combustíveis. No geral, 18 Estados, dentre eles o Pará, tiveram os valores médios da tabela do mês passado mantidos e outros oito Estados (Alagoas, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Sergipe e São Paulo) e o Distrito Federal sofreram alteração que valerá a partir de 1º de outubro. 

Mesmo sem alteração no preço, o custo médio da gasolina no Estado do Pará, R$ 3,9720, se mantém como a segunda mais cara do País. Na primeira posição do ranking nacional também continua o Acre, com preço médio de R$ 4,0976. Para efeito de comparação, na outra ponta da tabela, com os valores mais baixos no preço médio do litro da gasolina, estão São Paulo (R$ 3,4550) e Santa Catarina (R$ 3,5500) - diferenças respectivas de 15% e 12% em relação ao valor médio do Pará.

O Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) serve de base para o recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) feito pelas refinarias. O Confaz é formado por técnicos do governo e representantes das secretarias estaduais de Fazenda, o valor determinado leva em conta as características de produção e custo de transporte de cada Estado. Neste valor médio, não é considerada a margem de lucro dos donos dos postos de combustíveis.

Conforme o mais recente levantamento semanal de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP), entre 18 e 24 de setembro, o preço médio da gasolina praticado na maioria dos municípios do Pará já ultrapassa a marca dos R$ 4,00. É o caso de Santana do Araguaia, onde o consumidor paga o maior valor médio pelo litro do combustível no Estado, em torno de R$ 4,490. Na sequência surgem Parauapebas (R$ 4,353), Conceição do Araguaia (R$ 4,314), Alenquer (R$ 4,284), Altamira (R$ 4,266) e Xinguara (R$ 4,230). 

Em Belém, a ANP foi a 15 postos e identificou o menor preço pelo combustível em R$ 3,670 e o maior em R$ 3,999 (valor médio em R$ 3,835). Bragança, por sua vez, apresentou o menor preço médio do Estado (R$ 3,832), com valores nos quatro postos pesquisados que oscilam entre R$ 3,810 (mínimo) e de R$ 3,899 (máximo).

Na sequência aparecem Castanhal (R$ 3,841) e Ananindeua (R$ 3,882). O levantamento considera os preços praticados em 115 estabelecimentos em 17 municípios (Abaetetuba, Alenquer, Altamira, Ananindeua, Belém, Bragança, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Itaituba, Marabá, Paragominas, Parauapebas, Redenção, Santa Maria do Araguaia, Santarém e Xinguara).

Além da gasolina, a tabela do Confaz também manteve no Pará o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do álcool etílico hidratado combustível (AEHC), em R$ 3,5610; do diesel comum, em R$ 3,2740; do diesel S10, em R$ 3,3450; e do metro cúbico de gás liquefeito de petróleo (GLP), em R$ 3,8915. De acordo com a publicação, os novos valores do PMPF nos Estados que tiveram autorização para aumentar os preços médios, começarão a valer do próximo sábado (1), e serão utilizados para cobrança do consumidor final. 
(O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário