segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Círio vai percorrer 140 quilômetros em 40 horas de romarias

O Círio 2016 percorrerá 140 quilômetros ao longo de 40 horas de procissões. O trajeto conta com 12 romarias oficiais, incluindo o Traslado para Ananindeua e o Recírio. Este ano, a festividade deve injetar R$ 1 bilhão na economia paraense, turbinando especialmente os setores de serviço e comércio.  A estimativa do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicos no Pará (Dieese/PA) é que 80 mil turistas passem por Belém durante a festividade. 

O número é 3% menor que em 2015, quando cerca de 84 mil visitantes estiveram em Belém na mesma época. Os números foram apresentados pela Diretoria da Festa nesta segunda-feira (3). O Círio contará ainda com a parceria de 40 órgãos e entidades no trabalho de segurança e coordenação de eventos.

A Romaria da Juventude terá seu maior percurso este ano, ao todo 9,4 km, saindo da Igreja de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência em Val de Cães com destino à Basílica Santuário, dia 15. O trajeto da Procissão da Festa foi alterado. Este ano sairá da paróquia da Igreja de Santo Antônio Maria Zaccaria, na travessa 9 de Janeiro com a rua Boaventura da Silva; ano passado saiu da Igreja Nossa Senhora das Graças, na avenida Conselheiro Furtado.

O arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, reforçou o pedido para que os romeiros não cortem a corda antecipadamente. O sacerdote também apelou à imprensa que não divulgue mais o Círio como o 'Natal dos paraenses'.

Taveira explicou que o Círio e o Natal são duas datas importantes, mas o Natal é mais. 'Eu quero observar com vocês que é no mínimo impreciso, inapropriado, inadequado, a utilização dessa expressão e não forma a consciência do nosso povo, porque quando você conversa com o povo de Deus, esse povo sabe a distinção das duas coisas. 

O Natal passa na frente. O Natal depois da Páscoa é a mais importante celebração da vida da Igreja. Então, se se perguntar qual é a maior festa da Igreja é o Círio de Nazaré? Não. Por isso, nós nos detenhamos tanto em fazer essa correção a fim de que as expressões não sejam mal utilizadas', disse. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário