quarta-feira, 26 de outubro de 2016

HRBA promove Workshop de Oncologia sobre cuidados paliativos

Ser diagnosticado com uma doença tão grave quanto o câncer pode mudar completamente a vida de uma pessoa. É o caso de Elizângela Pereira, de 32 anos, que precisou se mudar do município de Trairão e ficar longe dos três filhos para iniciar o tratamento contra uma leucemia, há cinco meses, no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA). “A gente nunca se prepara para receber esse diagnóstico”, conta. Para ajudar os profissionais de saúde que atuam no município a estarem preparados para lidarem com essas situações, a unidade realizou o 23º Workshop de Oncologia do HRBA, com o tema ''Cuidados paliativos a pacientes oncológicos: desafios éticos no final da vida''. 
 O assunto é importante porque, como explica a oncologista Kalysta Borges, o câncer é uma doença potencialmente fatal, então se faz necessário falar em cuidados paliativos desde o primeiro dia de atendimento. 

“Existe uma linha muito tênue entre a vida e a morte, entre o amor e o ódio, e isso também se repete em oncologia. Quando a gente fala em cuidados paliativos, a gente não diz isso somente quando o paciente está com critério de terminalidade de doença. Então, essa equipe multiprofissional tem que estar habilitada para lidar com a transformação de uma doença curável em uma doença com critério de incurabilidade”, diz a médica. 

Para o diretor Geral do HRBA, Hebert Moreschi, o workshop tem a possibilidade de ser uma semente para ampliar as discussões sobre o conceito de cuidados paliativos. “Nós temos que falar sobre esse tema desde a chegada do usuário à unidade. Em países europeus, em que se trabalha isso há mais tempo, a família consegue entender melhor essa questão que inclui a assistência domiciliar, enquanto em nossa região, ser tratado em casa não é bem aceito”. 

A promotora de Justiça, Lilian Braga, participou da mesa de abertura do evento. Em seu pronunciamento, ela falou sobre os avanços da área da saúde. “O que me anima e conforta é observar que em Santarém nós temos movimentos de profissionais que a cada dia mostram ter uma preocupação com a qualidade na prestação do serviço de saúde. O interessante é que eu tenho ouvido muitas reclamações, mas até hoje ninguém reclamou do atendimento que recebeu no Hospital Regional, que é de qualidade”.

Congresso de Oncologia
O Hospital Regional de Santarém, em parceria com acadêmicos de Medicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa), realiza o II Congresso de Oncologia do Oeste do Pará. O evento iniciou na segunda, 25/10, e vai até sexta-feira, 28, no auditório da Uepa. O evento reúne alguns dos nomes mais importantes do Brasil quando o assunto é oncologia.

Hospital
Unidade pública de saúde, pertencente ao Governo do Pará e administrado, desde 2008, pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, o Hospital Regional do Baixo Amazonas  foi o primeiro hospital público do Norte a conquistar o certificado máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência. O hospital atende casos de média e alta complexidades e é referência em ensino e pesquisa na região amazônica da dos adolescentes do hospital. (Joab Ferreira - Pró-Saúde)

Nenhum comentário:

Postar um comentário