sexta-feira, 21 de outubro de 2016

MEC libera R$ 29,8 milhões para universidades e IF do Pará

 O Ministério da Educação (MEC) liberou na última terça-feira (18), R$ 742 milhões de limite de empenho às instituições federais de ensino. Deste montante, R$ 29.890.779,00 é o valor de limite de empenho liberado para as instituições do Estado do Pará. Segundo os dados do MEC, divulgados com exclusividade a O Liberal, a maior parte dessa quantia é destinada a Universidade Federal do Pará (UFPA), com repasse de R$ 15.320.238,00. Na sequência aparece o Instituto Federal de Educação, Ciência Tecnologia do Pará (IFPA), com destinação de R$ 5.849.511,00; a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), com R$ 3.750.376,00; a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), com R$ 3.160.657,00; e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), com R$ 1.809.997,00.

Em todo o País, a maior parte dos valores liberados, R$ 522,7 milhões, será repassada às universidades federais, cujo total de recursos para custeio atingirá R$ 5,2 bilhões – valor superior aos R$ 4,7 bilhões empenhados em 2015. Já a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica receberá R$ 219,2 milhões, chegando a R$ 2,2 bilhões de orçamento para custeio e, desta forma, superando o montante de R$ 1,9 bilhão destinado para a mesma finalidade em 2015.

Os recursos beneficiarão todas as universidades e institutos federais brasileiros, que poderão utilizar os valores para custear despesas indispensáveis para a prestação dos serviços das instituições, como pagamento de pessoal, aquisição de material de consumo e contratação de serviços para atividades de manutenção.

"Com essa liberação, as universidades e institutos federais terão disponível, já a partir de hoje, 100% do orçamento para as despesas de custeio, necessárias para a manutenção e regular continuidade da prestação dos serviços", informou o ministro da Educação, Mendonça Filho. "Ao todo, estão sendo liberados R$ 800 milhões a mais do que os valores empenhados em 2015 para custeio das universidades federais e a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica", declarou o ministro.
Por: Thiago Vilarins, da Sucursal

Nenhum comentário:

Postar um comentário