sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Vendas de produtos do time da Chapecoense batem recorde

A comoção mundial com a queda do avião que vitimou praticamente todo o time da Chapecoense, na última terça-feira, na Colômbia, se reflete na alta procura por materiais esportivos do clube. Em apenas dois dias, a principal loja oficial em Chapecó vendeu mais de 500 camisas, sem falar em outros produtos como chaveiro, bonés, bolas.... E os pedidos não são exclusividade da cidade, mas também de outros Estados, que já encomendaram mais de 100 itens pelos Correios. A demanda foi tanta que o site teve que ser retirado do ar.

Nós fechamos a loja em solidariedade e pela dor, mas o torcedor nos implorou atendimento. Queria uma lembrança, levar alguma coisa para amigos...Tiramos o site do ar porque o Brasil inteiro está querendo produtos da Chapecoense. É impressionante. Vendi mais de 500 camisas até agora e já tenho um pedido na fornecedora de mais 500. Nós queríamos estar vendendo por outros motivos, mas as circunstâncias são essas que nós sabemos - disse a proprietária da loja Rosa Muhe.

A cidade de São Paulo foi a que mais comprou itens da Chapecoense. Depois dela, vem Porto Alegre. Existe uma manifestação de torcedores gremistas de usarem a camisa na decisão da Copa do Brasil entre Grêmio e Atlético-MG, que foi adiada para a próxima quarta-feira.

- Devo ter enviado mais de 100 itens pelos correios. São Paulo, o pessoal do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina foram os que mais procuraram. Agora para o jogo da final da Copa do Brasil tem gremista querendo ir com a camisa da Chape – disse a proprietária da loja Rosa Muhe.

Um dos jogadores mais lembrados é o goleiro Danilo, que virou um ídolo da torcida. Ele chegou a ser resgatado e socorrido após a queda do avião, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Herói da classificação, o jogador deixa muito fãs.

- Tenho uma filha que mora em Florianópolis e me ligou pedindo a camisa do Danilo. Por tudo aquilo que ele representa para a Chapecoense, para nós moradores... Pelo que falava, pois não queria ser herói e nada melhor do que usar essa camisa com muito orgulho – disse emocionado, Ademir Colasso.

Ontem quinta-feira, a loja teve movimento incessante novamente. Diversos modelos estão em falta e reposições estão sendo pedida com urgência. Pelas ruas é possível notar uma onda verde de camisas e bandeiras, desde bebês de colo até idosos, todos vestindo e desfilando seu amor pela Chape.

A comoção mundial com a queda do avião que vitimou praticamente todo o time da Chapecoense, na última terça-feira, na Colômbia, se reflete na alta procura por materiais esportivos do clube. Em apenas dois dias, a principal loja oficial em Chapecó vendeu mais de 500 camisas, sem falar em outros produtos como chaveiro, bonés, bolas.... E os pedidos não são exclusividade da cidade, mas também de outros Estados, que já encomendaram mais de 100 itens pelos Correios. A demanda foi tanta que o site teve que ser retirado do ar.

- Nós fechamos a loja em solidariedade e pela dor, mas o torcedor nos implorou atendimento. Queria uma lembrança, levar alguma coisa para amigos...Tiramos o site do ar porque o Brasil inteiro está querendo produtos da Chapecoense. É impressionante. Vendi mais de 500 camisas até agora e já tenho um pedido na fornecedora de mais 500. Nós queríamos estar vendendo por outros motivos, mas as circunstâncias são essas que nós sabemos - disse a proprietária da loja Rosa Muhe.

A cidade de São Paulo foi a que mais comprou itens da Chapecoense. Depois dela, vem Porto Alegre. Existe uma manifestação de torcedores gremistas de usarem a camisa na decisão da Copa do Brasil entre Grêmio e Atlético-MG, que foi adiada para a próxima quarta-feira.

- Devo ter enviado mais de 100 itens pelos correios. São Paulo, o pessoal do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina foram os que mais procuraram. Agora para o jogo da final da Copa do Brasil tem gremista querendo ir com a camisa da Chape – disse a proprietária da loja Rosa Muhe.

Um dos jogadores mais lembrados é o goleiro Danilo, que virou um ídolo da torcida. Ele chegou a ser resgatado e socorrido após a queda do avião, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Herói da classificação, o jogador deixa muito fãs.
- Tenho uma filha que mora em Florianópolis e me ligou pedindo a camisa do Danilo. Por tudo aquilo que ele representa para a Chapecoense, para nós moradores... Pelo que falava, pois não queria ser herói e nada melhor do que usar essa camisa com muito orgulho – disse emocionado, Ademir Colasso.

Nesta quinta-feira, a loja teve movimento incessante novamente. Diversos modelos estão em falta e reposições estão sendo pedida com urgência. Pelas ruas é possível notar uma onda verde de camisas e bandeiras, desde bebês de colo até idosos, todos vestindo e desfilando seu amor pela Chape. 
(Agência Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário