quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Pará tem recorde de cheque sem fundo, aponta pesquisa

Entre janeiro e dezembro de 2016 a porcentagem de cheques devolvidos por insuficiência de fundos no Pará bateu recorde histórico: 6,53%. Em números absolutos, são quase 241,4 mil folhas devolvidas por duas vezes, do total de 3,7 milhões de cheques compensados no mesmo período. É o maior índice de devoluções para os doze meses do ano no Estado desde 1991, segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, divulgado ontem.

A proporção paraense em 2016 só fica atrás das proporções dos consumidores do Amapá (17,40%), de Roraima (10,33%), Maranhão (9,13%), Acre (7,72%) e Amazonas (6,89%). Na outra ponta, São Paulo foi o estado com o menor percentual de cheques devolvidos (1,79%). Ainda para efeito de comparação, a média brasileira de devoluções também foi a maior já registrada ao longo de um ano, desde o início da série histórica, com percentual de 2,36% dos cheques compensados. Esse percentual superou o recorde, até então, do ano anterior, de 2,26%.

O levantamento aponta que em 2015, o volume de cheques devolvidos pela segunda vez no 
Pará foi maior, 272,5 mil, mas, proporcionalmente, o montante foi bem inferior ao do último ano: 5,81%. Já na compensação mensal, a devolução de cheques em dezembro último foi de 6,45% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 7,72% registrada em novembro. Em dezembro de 2015, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Pará havia sido de 6,55% do total de cheques compensados.

O indicador também comprovou que houve diminuição no percentual de devoluções em dezembro de 2016, em relação à novembro de 2016, em todos os Estados, exceto no Amazonas. Em todo o País, o percentual de cheques devolvidos em dezembro foi de 2,25% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,46% registrada em novembro do mesmo ano e maior que o percentual de devoluções de cheques um ano antes, em dezembro de 2015, quando o índice foi de 2,42%.

Proporcionalmente, o Pará foi o quinto maior percentual de devolução do País no mês, sendo superado pelo Amapá (17,44%), Roraima (13,56%), Maranhão (9,24%) e Acre (7,78%). São Paulo aparece novamente com o menor registro de devoluções: 1,72%. 

Na avaliação anual de 2016 entre as regiões do País, a liderança de devoluções foi do Nordeste, com 4,66% de cheques devolvidos entre janeiro e dezembro de 2016, seguido pelo Norte (4,51%), Centro-Oeste (3,12%) e Sul (2,02%). O Sudeste foi a região que apresentou o menor percentual de devoluções no período: 1,94%.

Segundo os economistas da Serasa Experian, desemprego elevado, crédito caro e escasso, juros altos e inflação que se manteve pressionada, especialmente durante o primeiro semestre, foram os fatores que impulsionaram a inadimplência com cheques no ano passado. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário