sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Profissionais da saúde conhecem nova tecnologia de monitoramento pulmonar

Neste sábado (28), um evento reunirá em Belém profissionais da área da saúde interessados em conhecer um método inovador que está salvando vidas de pacientes internados com problemas pulmonares. O Enlight 1800®, aparelho fabricado pela Timpel, conhecido como Tomógrafo por Impedância Elétrica, está antecipando em horas informações precisas antes adquiridas em dias e de forma empírica pelos médicos sobre o estado do pulmão dos pacientes. A tecnologia brasileira é sinônimo de mais vidas salvas e foi desenvolvida pelo médico pneumologista Dr. Marcelo B. P. Amato, que virá palestrar no evento realizado no Centro de Convenções do Hotel Sagres, em Belém. O tema da palestra é: “Proteção pulmonar na UTI e intra/pós operatório: Evidências, benefícios e como monitorar”.
 Coordenador do Laboratório de Pneumologia Experimental da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), Marcelo Amato deu início ao projeto do Tomógrafo por Impedância há cerca de 20 anos junto com um grupo de engenheiros de São Paulo. O Enlight 1800®, entretanto, foi lançado em agosto de 2016. Consiste em um equipamento não invasivo, não radioativo, de monitorização à beira do leito.  

Eles verificaram que cada vez mais é possível extrair mais dados da impedância, tecnologia cujas informações são captadas por meio de uma cinta posta na região do toráx. O Enlight emite correntes elétricas imperceptíveis e inofensivas que passam pelo tecido torácico permitindo a geração de informações da ventilação do paciente. “Este aparelho é dez vezes mais barato que um tomógrafo convencional, mais barato ainda que uma ressonância”, compara o engenheiro Rafael Holzhacker.

O fisioterapeuta Rodrigo Sena, especialista em Tomografia por Bioimpedância Elétrica Pulmonar do Norte, envolvido na organização do evento, explica que o tomógrafo possibilita identificar em tempo real a eficiência da conduta realizada com o paciente durante o processo de ventilação mecânica (indução da respiração por aparelho).

Segundo Rodrigo, o método está se popularizando pelo mundo e países como Alemanha (nação mãe da ventilação mecânica), Chile, EUA, França, Noruega, Espanha e México já importam a tecnologia brasileira. Entretanto, muitos procedimentos ainda continuam sendo feitos de forma empírica, o que significa mais riscos ao paciente. 

“Quando ventilamos o pulmão com pressões/parâmetros inadequados, corremos o risco de provocar lesões, as chamadas VILI (Ventilator Induced Lung Injury). Ou seja, uma abordagem inadequada pode levar o paciente a graves complicações pulmonares e consequente morte”, explica.

Atualmente, a Macedo Hospitalar, instituição promotora do evento, é a única do Norte do país que tem o Tomógrafo por Impedância, Enlight 1800®. Rodrigo explica que o equipamento pode ser utilizado nas UTIs, nos blocos cirúrgicos ou nas enfermarias e projeta que, daqui a alguns anos, vai haver um aparelho desse em cada leito de UTI. Ou seja, o Tomógrafo por Impedância será tão indispensável quanto o Oximetro (dispositivo médico que mede indiretamente a quantidade de oxigênio no sangue do paciente).

Há um consenso na Associação Brasileira de Pneumologia e Tisiologia de que esta é uma tecnologia aconselhável. Considerando que 10% das admissões em UTI evoluem com o diagnóstico de Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), uma lesão pulmonar aguda, e que 20-40% das cirurgias de alto risco evoluem com complicações pulmonares, foi estimada uma incidência de SDRA no Brasil ao redor de 120.000 casos/ano, e de cirurgias de alto risco ao redor de 250 mil casos. Ou seja, foram estimadas 18.000 mortes evitáveis no Brasil (com internações médias de 10 dias) e de 125.000 complicações pulmonares evitáveis, cada uma destas aumentando em 2 dias (média) a internação hospitalar.

Impedância

Atualmente o método da impedância é utilizado pela medicina no mundo todo com o objetivo de recolher informações do quadro clinico do paciente. Segundo Rodrigo, a área respiratória está à frente em termos de utilização deste princípio. “Há, inclusive, um consenso mundial de impedância, no qual cinco continentes estão trabalhando. Ou seja, pessoas no mundo todo estudam a impedância”, explica.

O evento

Rodrigo espera que o evento seja um sucesso. “Todos que entram em contato com este equipamento sentem que avançamos exponencialmente no campo da saúde e da tecnologia. No entanto, reconhecer o avanço nem sempre é aceitá-lo e, este aceite, é o que precisamos para massificar essa inovação”, avalia.

A palestra tem vagas limitadas e será ministrada por Marcelo Amato, maior referência mundial em Tomografia por Impedância Pulmonar e precursor da ideia, e pela fisioterapeuta profa. Ms. Marta C. P. Damasceno, coordenadora do Serviço de Fisioterapia da Santa Casa de Misericórdia de São João da Boa Vista (SP). 

O evento será das 9h às 12h, no Centro de Convenções do Hotel Sagres, localizado na Av. José Malcher, 2425, Belém. Inscrições podem ser feitas pelo (91) 3276-2226/ 8258-2277/ 99257-1838.
Luiz Fernandes
Jornalista (DRT 2387-Pa)www.luizjornalismo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário